Há muitas formas de monetizar bem intangíveis. Se tens alguma experiência com Internet Marketing, nesta altura poderás estar a pensar em  Adsense ou em programas de afiliados de cêntimos que promoves no teu blog.

Por muito interessante que esses programas possam ser para um blogueiro, em nada contribuem para que ganhes muito dinheiro monetizando quem tu és, como guru.

Aliás, na minha modesta opinião, um blog que tem tanta publicidade que tenhas de fazer um esforço para achar os conteúdos não está a prestar um bom serviço ao visitante nem a melhorar a reputação do autor nesse aspecto.

Não. Quando falo de monetizar-te falo de algo muito, muito mais sério.

———————————————————————————————-

O  FUNIL  DE  MARKETING

A única forma de as pessoas te darem dinheiro é se tu lhes venderes alguma coisa.

Até os “donativos” são dados em troca de algo, quanto mais não  seja, em troca dessa coisa intangível chamada “obrigado”.

Com certeza sabes o que é um funil. Começa com uma boca larga e termina com um buraco  estreito.

Um  funil de marketing é um processo de “aquecimento” de prospectos, uma “máquina” composta por vários compartimentos a diferentes temperaturas, com canais de comunicação entre eles. Em cada compartimento existe uma  promessa, um valor, um produto e um preço. Pensa na monetização como a  “história do funil”.

Um dia  alguém viu um anúncio teu no Google ou cruzou-se com algum conteúdo teu que tinha um link para uma página de captura.  Estavas a falar de algo que ressoou com ele ou ela.  Aquilo que estás a dizer no vídeo ou no texto, pertinho do teu formulário, fala, por exemplo, de um ebook que vai ensinar como concretizar precisamente aquele desejo com o qual o teu visitante tem andado tão preocupado ultimanente: dinheiro, saúde, reconhecimento, aprendizagem, desafio, diversão, realização pessoal, relacionamentos, etc. Essa pessoa fica empolgada com a possibilidade de ter acesso a essa informação “privilegiada”  e  preenche  o  formulário.

Acabou de entrar no teu funil de marketing.

Ainda não comprou nada, e pode nunca vir a comprar, mas já está inscrita na tua lista de contactos, e tu  já  sabes que é alguém interessando no tipo de assuntos que tu tens para vender, lá mais para a frente.

Muitas pessoas, provavelmente, estão quentes o suficiente para clicar num anúncio ou num link que as leva até uma página de captura,  mas depois não estão quentes o suficiente para deixarem os dados delas em troca de informação grátis. Estes continuarão anónimos e sólidos, digamos que os que se inscreveram passaram a líquidos, ou seja a contactos identificáveis e alcançáveis (com os quais tu podes comunicar pessoalmente). O nível energético destes é maior que o anterior, logo é mais provável vires a fazer negócio com  um  destes, que se inscreveram do que com quem não se deu a esse trabalho.

Esta é a primeira câmara do teu “funil de marketing”: a câmara dos “líquidos”, como gelo que foi aquecido e agora é água.

Com estes contactos já sabes como proceder, foi explicado anteriormente na parte do “seguimento”.  O objectivo é duplo:

–  Acrescentar valor a estas pessoas, mantê-las conectadas contigo e com o teu projecto através do auto-responder .

–  Levá-las ao próximo nível.

Não esqueças que o único motivo pelo qual essas pessoas se inscreveram e se mantêm na tua lista é terem algo a ganhar com isso. Tu precisas de lhes dar esse algo.

Não quer dizer que tudo seja gratuito.

Longe  disso.

Para os teus prospectos (contactos que ainda não são clientes) o próximo passo é tornarem-se clientes.

Este processo de “aquecimento” ou “energização” é feito por emails automáticos.

Um dia, logo na primeira ou segunda semana a seguir à inscrição, e depois de lhe teres enviado uma meia dúzia de emails de óptimo conteúdo, vais apresentar-lhe algo para comprar.

Será algo de baixo preço e tem um  duplo papel:

–  Quebrar a  barreira  do grátis.  A primeira compra online é um passo importante. Mesmo que o valor seja de meia dúzia de euros ou menos, revela um salto qualitativo na relação muito importante. Precisas de promover este novo estado da matéria: o  “gasoso” com entusiasmo e inteligência juntos dos teus “líquidos”. Alguns deles nunca passarão de líquidos. Aproveitarão  tudo o que tiveres a oferecer gratuitamente mas nunca te darão um cêntimo a ganhar. Se a tua audiência for por exemplo constituída por internet marketers,  em termos de resultados próprios, estes líquidos são simplesmente amadores nivelados por baixo. Nunca passarão ao próximo nível e nunca ganharão dinheiro que se veja, simplesmente porque os bons conteúdos nunca  são  grátis e por isso nunca estarão ao seu  alcance. Não te preocupes com  estes, eles estão  bem, estão a ser seguidos pelo teu auto-responder e não te dão nem custo nem trabalho. (a  não ser quando querem falar contigo no Skype, mas aí tu já  sabes como fazer).

– O segundo papel que desempenha este primeiro produto vendido a preço baixo é o de comprometer mais a pessoa contigo. Efectivamente este prospecto deu um passo grande e  passou a ser “cliente”. Isso faz toda a diferença no teu relacionamento com ele e tu tens de ter noção do valor que  essa pessoa passou a ter para ti e para o teu negócio. Aumenta o nível de personalização no contacto com ele, verás que estarás a cimentar uma relação que  apenas se iniciou.

Depois da primeira compra, precisas de continuar a fornecer conteúdos valiosos gratuitamente e a promover outros, pagos, sejam eles teus sejam de outras pessoas (afiliados ou joint-ventures).

O objectivo é ir dando a essa pessoa a possibilidade de adquirir os meios e ferramentas que  a ajudem a realizar os seus desejos. No processo vai encontrando outras pessoas (como tu) que estão na disposição de a apoiarem e servirem de guia, e incentivo.

Este é o percurso dentro do funil:

o teu contacto, que se iniciou como prospecto para ter algo grátis,

vai progredindo no funil, comprando coisas, evoluindo no seu projecto com a tua ajuda, e vai aumentando os seus níveis de energia,

 

depois de “líquido” (cliente de algo barato) passará a gasoso, cliente fiel e repetitivo,

 

 

depois a “plasmático” (que faz parte do teu  círculo de amigos e influência, participa em tudo o que organizas, muitas vezes como voluntário, partilha da tua visão e missão e está contigo de corpo de alma).

One thought on “22 – Monetização”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *