Com  certeza  entendeste que o funil de marketing, assim como todos os processos de que falei até agora, requer uma componente técnica.

Evidentemente que sim, até porque estamos a falar em Internet Marketing, em que os computadores, a internet, software e coisas assim fornecem a base tecnológica para que tudo funcione.

Podes  estar  agora  a  pensar:
“Ai,  mas eu não percebo nada de programação, nem de autoresponder nem de lojas online. Muito menos percebo de sistemas de pagamento e de afiliados.“  Compreendo.

Em todo o caso quero recordar-te que tudo o que tenha a ver com a parte técnica em todos  os aspectos do que te tenho vindo a explicar já está resolvido. Evidentemente que podes aprender a fazer todas aquelas coisas tu mesmo, de raiz, mas acho que morrerias de velho  ainda antes de teres o mais básico a funcionar .

Existem soluções mais ou menos avançadas à tua disposição.

Desde cursos de “faça você mesmo o seu blog, páginas de captura, anúncios, artigos, vídeos,  etc.  “até soluções completas de Internet Marketing “chave-na-mão”, desenvolvidas por profissionais que colocam, por um preço acessível, a sua expertise ao teu dispor .

A falta de aptidões técnicas nunca impediu ninguém de ter sucesso.

É claro que ter a tecnologia afinada e perfeita ajuda, mas não é isso que é o mais importante.

Lembro-me da história da Brendan Burchard:

Na casa dos 20, falido e desejoso de  ganhar dinheiro na  Internet. Tendo entendido o poder e vantagem dos produtos de subscrição (em que o cliente paga mensalmente ou anualmente uma quota), ele decidiu fazer ele mesmo um produto assim. Em princípio este modelo requeriria um site, com um sistema de “área restrita” protegida por palavras-passe, uma  gestão de membros, de pagamentos continuados, etc. além, obviamente do produto em causa. O que ele fez  foi algo de uma simplicidade estonteante, fazendo um site de subscrição, altamente viral (auto-promovente) a partir de um auto-responder e de uma colecção de páginas html simples,  sem recorrer a qualquer tipo de programação avançada.

Resultado:  4,8  mihões de dólares em 18  meses.

Não vou aqui explicar em detalhe como funcionou aquela página milagrosa de venda, promoção e captura (tudo-em-um) para não nos alongarmos,  mas prometo voltar a esse assunto.

O que quero ilustrar é isto:

o que é mais importante para o teu sucesso online é um “conteúdo arrabatador”, um “killer  content” como lhe chama Brendon Burchard.

Como disse, a parte tecnologia facilita em muito todo o processo, mas o fundamental mesmo é o conteúdo combinado com o Marketing que pode envolver mais ou menos a tecnologia.

Vamos então falar do que importa agora: o conteúdo.

Para  facilitar o processo e poderes avançar com a  parte do Internet Marketing  mais rapidamente, podes usar  funis de marketing de outras pessoas e de outros sistemas.

Já referi o  Empower Network  e volto a referi-lo pois tem tudo prontinho a usar.

Comprando  os produtos,

ficas com acesso ilimitado a todos os conteúdos grátis,  que são muitos…

e ainda aos  cursos  “faça você mesmo” que cobrem todas as principais áreas do Marketing na Internet, além de profissionais te entregarem o teu próprio sistema desde a captura até ao funil, “chave-na-mão”.

Para ti,  que pretendes iniciar-te rapidamente no mercado do Marketing Pessoal na internet acho mesmo que não poderias achar melhor solução.

Se já és um entendido nestes assuntos ou se já é afiliado no Empower Network, então já estás familiarizado com o uso de funis de marketing de terceiros e com os programas de afiliados que vendem produtos de outras pessoas.

Se tiveres uma lista bastante grande podes também juntar esforços com alguns “gurus” reconhecidos e promoveres directamente os produtos deles junto da tua lista, ganhando tu  mesmo a comissão acordada.

Em qualquer dos casos, o  teu próximo passo é,  sem dúvida, a elaboração dos teus próprios conteúdos. Para isso podes pedir ajuda a alguém experiente e reconhecido e podem fazer um produto em conjunto (chamado  JV  ou  “Joint  Venture“) ou podes fazer tudo sozinho.

O ideal seria uma JV.

Imagina: estás a “colar-te” à reputação de outra pessoa,  já reconhecida no mercado,  tens a oportunidade de  aprender muito enquanto produzem o conteúdo juntos, e,  depois de  feito, esse produto irá  ser divulgado nas tuas  listas de contactos mas também  nas listas de contactos dele (melhorando a tua reputação por estares junto de alguém reconhecido).

Não poderias querer uma melhor solução.

Contudo, como todas as boas soluções,  há  sempre algumas dificuldades:

A principal  é que tu,  se não fores ainda reconhecido, não tiveres produção própria publicada (nem que seja em formato de blog), não conseguirás chamar a atenção de alguém já reputado. Aliás, quanto mais tentares chamar-lhe a atenção mais ele fugirá de ti, como qualquer bom  prospecto.

Lembra-te  que  o  teu  futuro  parceiro  de  JV  está  ele  mesmo a  fazer  o percurso dele e uma das coisas que ele tem de cuidar , da mesma forma que  tu,  é  das  associações  que  faz,  com  quem  e  como.  Ninguém  já reputado  se  associa  com  um  desconhecido  a  não  ser  que  veja  nisso vantagem.  Por  isso,  antes  mesmo de  tentares  abordar  uma  “estrela”  para fazerem  algo  juntos,  precisas  de  dar  o  litro  demonstrando  que  és  também uma  ou  que  vais  no  bom  caminho.

Como disse já muitas vezes, tudo é um processo.

Avalia as tuas possibilidades em  termos de  JV.  Podes mesmo fazer umas tentativas. Mas não fiques desapontado se todos te disserem não. É natural e tu farias o mesmo no lugar deles.

Uma  coisa porém ninguém te pode impedir de fazer: ser independente.

Em resultado disso podes tu  mesmo fazer um produto digital ou mesmo físico sem precisares de ninguém.

Há na  internet  muitos  cursos  que  supostamente te ensinam a  produzir o teu próprio conteúdo.

Digo “supostamente” porque não há muitos que to ensinem de facto. Mostram-te como vender o teu ebook, como fazer uma  capa  larocas  em  3D,  como  fazer um PDF autenticado, como  fazer  um lançamento,  angariar  promotores,  etc.  E acho que já estou  exagerar porque nunca vi nenhum que ensinasse tudo isto.

Contudo, nada daquilo te interessa se não tiveres um conteúdo próprio, se não souberes como fazer um ebook, ou um curso em vídeo, que seja valorizado o suficiente para servir de “suborno”  para  uma página de captura  e,  mais do que isso,  que possa  ser vendido online.

Por isso vamos deter-nos neste aspecto algum tempo. Entre todos os formatos  de  conteúdo que podes  desenvolver,  vamos trabalhar num deles,  para efeitos de formação.

O mais simples e barato: o ebook.

Vais aprender em 15 minutos, como escrever um ebook em 15 dias.

Agrada-te  a  ideia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *