Um Porquê  é  um  objectivo,  mas também  é  muito  mais que  isso.  É  a razão pela qual tu fazes o que fazes. Visto por outro prisma, é fazendo o que  fazes  que  cumpres  o  teu  propósito.

É uma espécie de pescadinha de rabo na boca:

fazes porque sonhas e sonhas  porque  fazes.

Já descobriste que, tendo o teu motivo bem afinado,  precisas de um plano  de  acção.  A  própria  palavra  Realização  quer  dizer:  “tornar realidade”.

Ora um objectivo torna-se real pela acção (realização).

Se não agires não tens um objectivo, tens um desejo.

E deixa que te diga uma coisa: os desejos  nunca  se  realizam.

Sem  acção  nada  se  realiza,  mas um  desejo, com  um  plano  de  acção  posto  em  prática,  deixa  de  ser  um  desejo  e  passa  a ser  um  objectivo.

Enfim,  semântica  àparte, o que é um facto é que agora tens uma missão: Ser livre e causar um impacto positivo no mundo. Podes chamar lhe: “deixar um legado”.

Provavelmente sentes, chegado a este momento da leitura que “não foi para isto que eu comecei a ler  este livro”. Talvez não. Começaste porque pretendes ser um guru  reconhecido na Internet e afinal estamos aqui a falar de propósito, de missão, de sentido  para a vida.

O que tem uma coisa a ver com a outra? Tudo. Tudíssimo.

Para seres uma PDS é muito mais importante aumentares a  alma  do que a conta bancária, trabalhares  sobre  ti  mesmo do  que  perseguir  rendimentos.

Antes  porém  de  explorarmos  em  detalhe  esse  assunto  precisas  de saber  que  recursos  pessoais  tens  aí  dentro,  o  tal  “petróleo”.

Vamos  explorar  as  tuas  competências  e  necessidades.

Não  é  em tempo de guerra que se limpam as armas, por isso, antes de zarparmos vamos  abastecer  os  porões.

Toda a gente gosta de seguir quem está a ir a algum lugar . Se tu fores  essa  pessoa,  terás  muitos  seguidores.

O  interesse  em  teres  seguidores  não  está  em inchar  o  teu  ego,  mas  antes  poderes ter à mão muitas pessoas a quem possas ser útil.

Isto é mais importante do que possa parecer à primeira vista. Vamos então contar as tuas espingardas, ou seja, listar os teus recursos  pessoais.  Escreve  no  teu  caderno  de  notas  a  seguinte  lista  e  põe  um  sinal  +  (mais) se a resposta for positiva, põe um sinal – (menos) se a resposta for  negativa.  Vamos  evitar  os  “mais  ou  menos”.

Aqui  vai  a  lista:

–  Existe uma (ou  mais) coisas que me dão imenso  prazer e nas quais eu  sei  que  sou  muito  bom,  ou  pelo  menos,  muito  acima  da  média? O  quê?  ______________________________________________

–  Leio  ou  ouço  áudios,  ou  vejo  vídeos  de  autores  positivos  todos  os  dias.

–  Faço  algum  tipo  de  meditação  diária.

–  Estou  sempre  à  procura  de  formas  de  me  melhorar  em  alguma  coisa.

–  Gosto  de  desafios,  de  aprender  e  fazer  coisas  novas.

– Tenho uma paixão grande, algo que adoro fazer e que poderia fazer todo  o  dia  sem  cansaço: O  quê

_________________________________________

–  Gosto  do  contacto  com  computadores  e  amo  a  Internet.

–  Adoro  ensinar  o  que  sei.

–  Gosto  de  conhecer  pessoas  novas.

–  Crio  empatia  com  facilidade  com  pessoas  desconhecidas

–  Já  me  disseram  que  eu  era  um  líder  nato.

–  Já  comprei  pelo  menos  2  ou  3  coisas  online

.-  Participo  de  sistemas  de  afiliados.

– Gosto de escrever ou fazer vídeos e publico regularmente conteúdos  meus  online.

–  Tenho  o(s)  meu(s)  próprio(s)  domínio(s).

–  Tenho  contas  no  Facebook,  Twitter  e  Y outube.  (se  não  tens  vai  criá-las rapidamente  depois  volta  aqui  e  assinala  este  item  com  um  “+”)

–  Tenho  uma lista  de contactos Opt-In (que  pediram  especificamente  para  receber  conteúdos  teus:  a  lista  dos  emails  do  hotmail  ou  do  gmail  não  conta).

–  Tenho  um  sistema  de  captura  de  contactos  (páginas  de  captura,  formulários, página  de  fãs  no  Facebook)

–  Sei  o  que  é  um  funil  de  marketing.

–  Tenho  um  (seja  ele  próprio  ou  de  terceiros)

–  Fiz  um  produto  meu  (ebook,  curso,  vídeo  ou  série  de  vídeos)  para  oferecer  online.

– Já fiz um produto meu (ebook, curso, vídeo ou série de vídeos) para vender  online.

Depois  de  fazeres  este  check-up  às  tuas  circunstâncias,  já  terás  uma  ideia  acerca  daquilo  que  te  falta.  Todos  os  sinais  menos (-)  terão  de  ser  transformados em sinais  mais (+)  no decurso  da tua  leitura e prática do  Guru  Instantâneo.

Não tenhas ilusões, tens de ser um especialista para seres reconhecido  como  um.

Não  conseguirás  enganar  ninguém  tentando  fazer-te  passar  por  algo  que  não  és.

Não  faltam  na  Internet  pessoas  assim,  mas  são  detectáveis  à  distância.

Precisas  de  ser  um  facilitador  de  conhecimento.  Tens  de  ser  um fabricante  de  conteúdos.

Um  dia  eu  vi  o  documentário  “O  Segredo”  e  fiquei  bastante  confuso  na época.  Não  sei  se  o  viste,  se  não,  recomendo-to. Nesse documentário  eu  ouvi  muitas  PDS  a  dizerem  que  bastava  lançar o pedido  ao  universo,  tipo  Aladino,  e  ele  responderia  sempre,  sem  falhar , tal  génio  da  lâmpada.  Quem  disse  isso  foi  o  Joe  Vitale,  na  época  um desconhecido  para  mim. Muitos outros faziam eco da mesma ideia.  Adorei o filme,  mostrei-o a várias  pessoas  e  gostava  de  perguntar:  “do  que  trata  o  filme  “O  Segredo”? Quase todas  me responderam  que  era  acerca  do  pensamento  positivo
(uns  80%)  ou  então  era  acerca  do  poder  da  mente.

Fiquei admirado com essas respostas porque não foi nem uma coisa  nem  outra  que  eu  aprendi  vendo  aquele  filme.

O que  aprendi  foi  uma  lição  facultada  no  filme  por  Jack  Canfield,  autor  do best seller “Canja de Galinha para a Alma” e uma outra na secção “O Segredo Para o Amor”, quando a rapariga está na praia, é convidada a ir embora  juntamente  com  aquele  grupo  de  amigos  e,  depois  de  hesitar  por dois  segundos,  agarra  nas  suas  coisas  e  vai.

Aprendi duas coisas importantes, as duas mais importantes do filme, nestas  duas  cenas.

Na  primeira  o  Jack  Canfield  está  a  contar  como gostaria  de  ganhar  um  milhão  de  dólares,  em  como  pensava  que,  se conseguisse  vender  muitos  livros  da  “canja  de  galinha  para  a  alma” conseguiria  esse  objectivo.  O problema  era  vender  os  livros.  Ele  manteve a  mente  aberta  a  todas  as  possibilidades,  focado  naquele  objectivo. Um dia, depois de ter dado uma palestra numa universidade veio ter com ele uma jornalista, de um jornal de grande tiragem, impressionada com  a  palestra.  Queria  fazer-lhe  uma  entrevista. Em resultado dessa entrevista, a sua notoriedade explodiu, as vendas ganharam  uma  velocidade  vertiginosa.  Ele  foi  convidado  a  dar  palestras,  a falar  em  programas  de  tv  em  todo  o  país.  No  final  do  período  tinha conseguido  o  seu  milhão  de  dólares.

O  que  eu  aprendi  foi  o  seguinte:

Se  ele  não  tivesse  escrito  o  livro  nunca  conseguiria  ganhar  o  seu milhão.

Além disso,  se o tivesse escrito mas não fosse dar a palestra na universidade,  e  não  tivesse  paciência  para  ficar  até  mais  tarde  e  ter encontrado a jornalista, se não lhe tivesse dado a entrevista, e depois se não  tivesse  passado  semanas  e  semanas  na  estrada  a  percorrer  o  país promovendo  o  livro,  nunca  teria  conseguido  o  seu  objectivo.

Bastou  “colocar  a  encomenda  no  supermercado  do  Universo”  e  o milhão  caiu-lhe  nos  braços?  Claro  que  não!

O  que  aconteceu?  Ele  fez  tudo  o  que  é  explicado  em  “O  Segredo”, pensamento  positivo,  motivação,  fé,  etc.  mas…

tinha  um  livro  escrito, tinha  credibilidade  junto  do  meio  académico  para  ser  convidado  a  dar uma  palestra  onde  estava  a  jornalista,  depois  saiu  da  sua  zona  de  conforto e  deu  o  litro  na  promoção.

O  tal  “Universo”  nunca  te  dará  o  que  pediste  se  tu  não  criares  as condições para que isso  aconteça.

Foi isso  que fez  o Jack  Canfield: criar condições.  E  é  isso  que  estás  agora  a  aprender  como  fazer:  a  criar condições  para  que  os  teus  desejos  se  manifestem.

A segunda história, a da rapariga na praia, vou resumi-la rapidamente caso  não  tenhas  lido  o  livro  ou  visto  o  filme:

“Uma  moça  procurava  um  namorado,  estava  sempre  só  e  não  achava ninguém. Lançou  o  seu  pedido  ao  Universo  e  manteve-se  alerta  às oportunidades. Um dia, na praia, estava ela sozinha a ler um livro quando uma bola veio  de  encontro  a  ela.  Um  pouco  mais  longe  um  grupo  de  jovens, rapazes  e  raparigas,  estava  a  jogar .  Ela  pegou  na  bola  e  atirou-a  de  volta para o grupo e então um dos rapazes do grupo convidou-a a juntar-se a eles.Jogaram  juntos. Quando terminaram iam  todos embora e a rapariga da história estava a voltar para o seu lugar , na praia para junto do seu livro,  sozinha.  Foi  então  que  o  tal  rapaz  a  convidou  a  ir  com  eles.  Ela hesitou,  hesitou,  mas  foi”.

O filme não conta o resto da história da moça, mas deixa entever um final  feliz.

O  ensinamento  que  retirei  dali  foi  que  o  Universo  não  te  dá  as respostas,  nem  as  coisas,  mas  uma  oportunidade  de  tu  as  conquistares.

Precisas de estar atento e, quando a oportunidade te é apresentada, agir .

Agir rapidamente porque as oportunidades nunca se mantêm muito tempo  a  bater  à  tua  porta e nunca se repetem.

O  Universo gosta de velocidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *