“A felicidade não é um ponto de chegada, mas uma maneira de viajar.” – Margaret Lee Runbeck

Quando pensas “um dia…”, “quando tiver dinheiro…”, “quando tiver tempo…”, “quando sair da casa dos meus pais…”, “quando me reformar…”, “depois do Natal…”, “no próximo ano…”, etc. etc. etc. estás a atirar a tua vida para longe de ti, a adiar o teu futuro.

E o futuro tem um defeito um pouco chato: é que nunca é presente, é sempre futuro.

Deste modo quando estabeleces metas, traças objectivos e fazes planos, certifica-te de que começas a viver agora em consonância com o que pretendes.

– Se queres ser rico, vive a riqueza que tens agora.

– Se queres ser amado, aprecia o amor que tens neste momento.

– Se pretendes ficar famoso, agradece a fama actual, se queres ser generoso, partilha hoje o pouco ou o muito que já tens, se queres ser bem-sucedido celebra os teus sucessos de hoje.

Porque vais verificar, mais tarde ou mais cedo, que nada na vida é definitivo, tudo é um processo não um destino aliás, não há destinos, apenas caminhos. Nada te impede de percorrer qualquer um deles começando agora mesmo.

“Ah!” – dizes tu para mim- “tu falas assim porque não sabes a minha situação!
Se tu soubesses… é que isso é tudo muito bonito mas é para ti, se tivesses no
meu lugar havias de ver se dizias os que dizes”.

Eu tenho uma má notícia para te dar: tu não és melhor que qualquer outra pessoa.

E tenho também uma boa notícia para ti: tu não és pior que ninguém.

E como é que eu sei? Se estás a ler isto é porque andas em busca de alguma
coisa diferente. E, como digo, se o destino afinal é o próprio caminho, então
procurar já é encontrar.

Pessoalmente entendo que, sem te conhecer, tu tens todas as qualidades
necessárias para chegares onde quiseres. Se achas que não é porque ainda
não descobriste o teu potencial.

Pára de pensar se és ou não capaz e faz.

Age.

Actua.

Uma vez que estejas no caminho, vais ver que afinal não era assim tão
difícil.

É claro que podes sempre optar por um modo de vida adiada, no futuro, na
tua imaginação, pensando que as coisas ficarão melhores por milagre
enquanto observas a tua vida actual com mágoa e comiseração.

Podes fazer isto, sim, mas não te esqueças que viver assim não é obra do destino, mas uma opção tua que podes desfazer quando quiseres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.