“Devagar se vai ao longe” – Provérbio Popular

Este provérbio tem a sua máxima expressão na história da Lebre e da Tartaruga, de Esopo (quem não a conhece leia-a aqui). Contudo a fábula e o provérbio dizem coisas muito diferentes.

O provérbio diz que não se deve andar depressa, que devagar é que se alcançam grandes coisas. E isso é mentira.

É um “meme” da mente, um vírus instalado no nosso subconsciente por gerações de pessoas conformadas e medrosas. Longe chega-se depressa e devagar, a velocidade nada tem a ver com o assunto.

A história de Esopo diz que a Lebre, cheia de autoconfiança deixou o seu trabalho por fazer (correr o mais rápido que pudesse) e foi dormir.

A Tartaruga por outro lado, deitou mãos à obra e fez o seu trabalho (correr o mais rápido que pudesse).

O segredo da derrota da Lebre assim como o da vitória da Tartaruga, porém, nada teve que ver com velocidade: teve a ver com perseverança.

Quem ganhar não é por ser mais inteligente, talentoso, educado, bonito, habilidoso ou bem-falante, também não será por ser o mais estúpido, aborrecido, feio, desajeitado ou boçal. Ganha quem tiver uma meta, um percurso e der o seu máximo todos-os-dias, todos-os-dias, todos-os-dias, todos-os-dias.

One thought on “A Lebre e a Tartaruga”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.