Será que apanhaste a parte desconhecida da metáfora do copo “meio-vazio” ou “meio-cheio”?

Artigo Relacionado: O Copo

Conheces a metáfora, com certeza. Vou repeti-la para o caso de não a conheceres.

Diante de uma circunstância há duas formas de ver as coisas comparando com um copo que está meio de água.

– Podes focar-te na parte do problema, do que não tens, naquilo que te impede de realizar o que pretendes… Estás a olhar para a parte meio-vazia do copo, a parte da escassez e da frustração.

– Podes focar-te na parte da solução, do que já tens, nos teus recursos, naquilo que te poderá ajudar a realizar aquilo que pretendes… Estás a olhar para a parte meio-cheia do copo, a parte da abundância e da gratidão.

Da parte do copo em que te focas, derivam emoções positivas ou negativas, e delas derivam decisões, depois ações, depois resultados.

Artigo Relacionado: Os 4 Degraus da Escassez à Abundância

Esta é a metáfora do “copo meio-vazio” ou do “copo meio-cheio”. Porém ela diz toda a verdade? Esta metáfora pode esgotar-se na interpretação de quanta água tens no copo e no importante que possa ser teres mais ou menos água?

Penso que falta aqui um dado importante, que é a opinião do copo.

Falemos um pouco dele, pois sem ele não existiria esta metáfora, que toda a gente pensa que fala de água, quando na realidade fala de copos.

Imagina que tu és o copo. Coloca-te na sua posição e imagina a quantidade de perguntas que ele se coloca constantemente:

Será que sou grande o suficiente para conter a água necessária?

Artigo Relacionado: Empowerment é Descobrir o Poder Pessoal

Esta água que tenho dentro… tem espaço suficiente para ser aumentada?

A minha cor… será que altera a cor da água? E, se sim, dá-lhe uma cor bonita?

Sou suficientemente transparente?

O que interessa? Sou eu ou é a água que contenho?

Se eu me fizer mais bonito, mais colorido, mais trabalhado… realizo melhor a minha missão?

Qual é a minha missão? Conter água, ou proporcionar uma experiência agradável à pessoa que a bebe?

Como posso eu melhorar essa experiência?

Como posso melhorar essa experiência e ao mesmo tempo valorizar a água que tenho dentro?

Olha para esta água! É por causa dela que eu existo, e no entanto é ela que se molda à minha forma. Incrível lição de humildade.

É melhor estar sempre cheio? Que água mais poderia receber se estivesse sempre cheio?

Não é melhor esvaziar-me de vez em quando para receber água nova?

Artigo Relacionado: Talvez o Sucesso Comece com um Bom Banho

Mas, se estiver vazio… para que sirvo? Como posso dar o que não tenho?

Cada uma destas perguntas é tão relevante, e porém a maioria das pessoas não as faz.

Quando olhamos para o “copo meio-cheio ou meio-vazio” pensamos que estamos a falar de água dentro do copo, que nós possuímos e que podemos beber.

Porém não falamos realmente da água, falamos do copo.

E, falando do copo, não falamos dele, mas sim de nós, pois nós somos o copo, a água é a nossa missão, e a pessoas que a bebem são as pessoas que servimos.

Artigo Relacionado: Como Atingir Sucesso Pessoal e nas Organizações, e Criar uma Vida Abundante – Visão, Missão, Valores e Outras Coisas

Obrigado por estares aí e por partilhares esta mensagem invulgar do “copo meio-vazio” e do “copo meio-cheio”.

 

 

 

 


Gostaste deste artigo? Estes também te vão interessar!
>> O Vendedor de Pedras
>> Prioridades: A História da Lição que o Professor Deu com um Frasco de Maionese Vazio
>> O Pato Lixou-se: Os 3 Passos para Tomares Sempre as Melhores Decisões
>> A História do Cão e o Que Significa Matar a Vaca
>> 11 Ideias Perigosas de Senso Comum Que Parecem Verdadeiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.