“Acção cura o medo.” – José Carlos de Oliveira

O nosso corpo é um espectáculo de adaptação, e o medo é uma das maiores maravilhas do nosso corpo. Se mais alguma prova faltasse da união entre mente e corpo, o medo seria a prova derradeira desta união.

Primeira fase: o medo paralisa-te. É assim na natureza. Imagina que vives numa caverna e aparece um urso três vezes o teu tamanho. Ficas incapaz de te mexer, encolhes-te num canto e ficas quieto até a ameaça passar. Assim, passas despercebido e as possibilidades de sobreviveres a esta ameaça mortal aumentam consideravelmente. Consegues imaginar uma reacção involuntária que melhor sirva o teu instinto de sobrevivência num ambiente hostil?

Hoje não vives em cavernas e não há ursos por aí à espera de te trincar uma coxa ao pequeno almoço. Mas há muitas outras ameaças, mais subtis mas não menos perigosas.

Estás metido num problema de relacionamento, com a justiça, de dinheiro, de trabalho, familiar, sei lá, um qualquer. Sentes-te encurralado, sem saída. Então fechas-te com a tua angústia, imóvel. Não resolves nem queres pensar no assunto. Ficas paralisado, envolvido numa onda de emoções negativas que te retiram toda a acção.

Esta paralisia do medo não se mostra somente em coisas grandes, mostra-se em todas as pequenas coisas: fazer algo que nunca fizeste, causa desconforto, receio, medo do desconhecido. E isso paralisa-te. Uma oportunidade que te é apresentada, fica esquecida porque tens medo. Pior: entendes que algo seria bom para ti, até mesmo extraordinariamente bom, mas ficas paralisado com medo da insegurança, de saíres da tua zona de conforto.

Eu só conheço uma forma de vencer o medo: a acção.

Quando decides agir (lutar ou fugir) acontece uma coisa interessantíssima no corpo: uma inundação de adrenalina. Esta hormona é lançada no sangue pelas glândulas supra-renais e tem um efeito poderoso: dá uma “injecção” de força física e anímica, aumenta a frequência do coração, o açúcar no sangue, inunda os músculos de sangue fresco e de nutrientes, transforma instantaneamente gordura em energia. Estás pronto.

O medo? Desapareceu. Já mudaram as circunstâncias? Ainda não. Mas tu estás preparado para tomares de volta as rédeas da tua vida.

E esta mudança de vida começou com medo, seguido de decisão, seguida de acção. É assim que funciona. Se não o fazes ainda, não percas mais o teu tempo ficando paralisado, à mercê da vontade das circunstâncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.