“Serve livremente e não serás servo.” – Menandro

-Foste ensinado a lutar pelos teus interesses.

Ok.

-A não deixares que se sirvam  de ti para benefício próprio.

Óptimo.

-A tirar vantagem do máximo de pessoas possível.

Porreiro.

-A dar alguma coisita a alguém necessitado.

Baril.

-A ter influência sobre os comportamentos dos outros.

Cinco estrelas.

-A ser servido pelo maior número possível de pessoas.

Muito bem.

E foste ainda ensinado a desprezar quem tem trabalhos humildes. A tratar por “senhor” ou “senhora” o executivo e a tratar por “tu” o homem do lixo ou o sem-abrigo ou ainda o vendedor de casacos marroquinos que anda de porta em porta. A pensar que és o centro do mundo que se não lutares tu pelos teus interesses ninguém lutará por ti e serás comido por este mundo cão.

Penso que não tenho de to dizer de novo: Se vês cães no mundo, o teu mundo será cão. Vê outros posts deste blog, não falo de outra coisa, praticamente.

O que tu não foste ensinado a fazer foi a servir.

E enquanto não aprenderes a fazer isso nunca encontrarás um lado oculto do mundo cheio de coisas deliciosas: a tomar conta de alguém e a deixar que tomem conta de ti, a colaborar em vez de competir, a ensinar em vez de reservar conhecimento, a certificares-te de que todos têm o que precisam e és tu quem verifica isso e toma providências.

Serás enorme se tomares o “serviço” como modo de vida. Lembro-me de novo o Jim Rohn “ser grande é servir muitos” e “se não ganhas o suficiente é porque não serves suficientes pessoas”.

Procura e encontra um modo de trabalho baseado no serviço.

Torna-se “escravo” de todos e serás maior que todos.

Sei que isto poderá parecer um pouco estranho, e é, mas garanto-te que poucas coisas são tão verdadeiras.

Estranhamente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.