“O sucesso não é um destino. É o resultado de um padrão de comportamentos habituais.” – Mike Dillard

Mike Dillard comigo, Rui Gabriel, em Austin

Mike Dillard (“O Pai do Marketing de Atração”) comigo em Austin, Texas

Quando inicias uma nova actividade, ou aprendizagem, estás num estado de máximo stress e poucos resultados.

 

Lembras-te quando começaste a andar de bicicleta? Eu lembro-me. Excitação e medo de cair, super foco nos pedais, depois na roda da frente, depois na estrada dois metros à frente. Tensão nervosa, tensão muscular, adrenalina nos píncaros. Depois foste ultrapassando as dificuldades e com o treino, hoje montas na bicicleta e nem pensas duas vezes: stress mínimo – máximos resultados.

Se pensares acerca do teu processo de aprendizagem quando tiraste a carta de condução aconteceu o mesmo, e o mesmo sucedeu com todas as coisas que se tornaram para ti um hábito: um novo emprego, um novo curso, novos amigos, nova escola, nova casa, novo patrão, novos relacionamentos: começam com máximo stress e mínimo resultado, e, depois de ganho o hábito, mínimo stress e máximo resultado.

Expandiste a tua zona de conforto. Evoluíste.

É bastante óbvio, pelo menos no meu ponto de vista, que quem não faz nada de desconfortável, que traga excitação, algum risco e bastante stress não irá nunca progredir. A própria definição de progressão implica deslocamento, uma mudança para situações novas, aprendizagem e risco.

Por isso os hábitos são tão importantes: colocam em piloto automático as coisas velhas, para que te possas focar na aprendizagem de coisas novas. Os hábitos são como degraus: constróis um e, de cima dele, fazes outro e depois outro e outro, até teres construído toda a escadaria e teres subido até ao topo do edifício.

Há só mais uma coisinha importante que eu quero dizer acerca deste mecanismo espectacular dos hábitos: por definição um hábito é algo que repetes periodicamente sem teres de pensar muito sobre isso, assim, em piloto automático.

Mas uma coisa que talvez não tenhas reparado é que há uns que te servem e outros que te exploram.

  • Os que te exploram sugam-te o ânimo e sabotam o teu progresso.
  • Os que te servem criam-te resistência à incerteza e ao medo e fazem de ti uma pessoa melhor.

Acho que o segredo do sucesso, para completar o que disse o Mike Dillard, é a habilidade de substituir os teus hábitos negativos por outros positivos, sobre os quais possas edificar o teu futuro.

  • Não deixes de fumar, substitui esse hábito por exercício físico, por exemplo.
  • Não deixes de comer aos serões, troca somente os aperitivos por palitos de cenoura, ou aipo.
  • Não precisas de deixar de beber, troca somente o líquido que tens no copo.
  • Não precisas de deixar de reagir, mas em vez de reagires com impaciência, reage com compreensão.
  • Não precisas de deixar de ver televisão mas começa a ver programas que te melhorem.

Acho que apanhaste ideia. Apanhaste? Ok.

One thought on “Apanhaste a Ideia?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.