A oitava coisa de que precisas para ser livre é Apreciar o Preço Que Pagas pela tua liberdade.

Precisas saber o seguinte: não há nada grátis. Tudo tem um preço.

Há um preço a pagar por ser livre e um preço a pagar por ser escravo. Um preço a pagar por comprar comida e um preço a pagar por passar fome. Há um preço da pagar para fazer exercício e outro preço a pagar por não fazer exercício. Há um preço a pagar para ter um negócio, há um preço a pagar por não o ter. Há um preço para ter um carro e um preço por não o ter. Há um preço a pagar por estar comprometido com algo importante e um preço a pagar por não estar comprometido.

Tudo tem um preço. Tudo! As pessoas livres escolhem o preço que querem pagar, as pessoas não-livres pagam o preço que lhes é apresentado.

E deixa que te diga: o preço que pagamos pela liberdade é um doce preço. Por muito elevado que possa parecer, no fim das contas, é bem barato.

  • Achas que um atleta prefere pagar o preço de treinar todos os dias ou o preço de não treinar todos os dias?
  • Achas que um empreendedor prefere pagar o preço de ser pioneiro em algo grande ou pagar o preço de se deixar ultrapassar?
  • Achas que é mais barato o preço trabalhar de forma inteligente e ganhar uma fortuna ou o preço de continuar a trabalhar e ganhar uma miséria?
  • Achas que eu prefiro pagar o preço de escrever neste blog ou o preço de não escrever? De fazer vídeos, de comunicar a minha paixão, ou achas que preferiria pagar o preço da inércia?

E tu? Preferes pagar o preço da aprendizagem ou o preço da ignorância?

O preço do desafio ou o preço do aborrecimento? O preço da liberdade ou o preço da escravidão?

Vou ser muito sincero contigo: Eu preferi pagar o preço para ganhar $1000 euros por dia do que continuar a pagar o preço de não ter dinheiro nem sequer para pagar as contas.

Já percebeste que, quando pagamos o preço perseguindo o que para nós é prioridade, esse preço paga-se com prazer, é muito barato.

Nem pensamos no processo como sendo um preço, mas já uma recompensa em si mesmo.

Já ouviste dizer: “quem consegue fazer o que ama nunca mais trabalha nem um dia no resto da sua vida”. É o preço mais barato que possas imaginar.

Quando decidi fazer o que gosto e ganhar dinheiro com isso, percebi que era um animal raro. A minha esposa, Melissa, deixou o seu trabalho de professora e quis ficar em casa com as crianças em vez de as colocar num infantário.

Foi quase escandaloso quando anunciou que queria ficar em casa e fazer o que gosta, porque toda a gente lhe dizia:

“Não se pode ganhar dinheiro a sério fazendo o que se gosta! Por isso há Empregos: ganhar dinheiro mesmo fazendo o que se odeia. Para fazer o que se gosta há os Hobbies, mas com esses não se ganha dinheiro, antes pelo contrário: gasta-se dinheiro e muito!”

Para mim foi uma verdadeira revelação entender que podia ganhar uma verdadeira fortuna escrevendo as minhas ideias no meu blog. Partilhando as minhas experiências acerca do que gosto.

O mais curioso é que em pouco tempo, músicos, pintores, advogados, professores, desportistas, médicos, donas-de-casa, funcionários públicos, veterinários, profissionais de inúmeras áreas, empresários e empreendedores, profissionais de carreira, estudantes, e imensas pessoas de todo o tipo de origens, descobriram que podiam fazer o mesmo que eu: ganhar dinheiro a comunicar c o mundo acerca das coisas que amam.

Aprenderam a descobrir o seu valor de mercado, a comunicar esse valor e a receberem dinheiro por isso.

  • Dessa forma vejo um veterinário a ser veterinário porque ama a sua profissão e não porque depende dela para viver.
  • Vejo músicos, pintores, atores e atrizes a poderem dedicar-se à sua arte porque não dependem dela para viver.
  • Vejo professores a readquirirem o gosto e a paixão pela sua profissão porque não precisam dela para pagar as contas.
  • Vejo estudantes a pagarem os próprios estudos,
  • Empresários a dedicarem-se a obras sociais,
  • Donas de casa a ganharem mais em poucas horas diárias do que os seus maridos em bons empregos com horários completos.

Hoje tenho o raro privilégio de ensinar isto a todas as pessoas que o queiram aprender: Como Ganhar Uma Pipa de Massa Fazendo O Que Se Adora.

Transformar uma paixão numa fonte de rendimento igual ou maior ainda do que a profissão. Acho que qualquer pessoa adoraria poder ter este nível de liberdade e pagaria o preço com entusiasmo, não achas?

Pagar este preço é muito barato. E deixa que te diga: ver estas coisas a acontecerem diante dos meus olhos, e ter a consciência de que eu, Rui Gabriel, desempenhei um papel mesmo que pequeno, nessas conquistas, faz com que tudo o que superei tivesse valido a pena.

O preço que paguei para estar aqui , agora a escrever enquanto está um monte de dinheiro a entrar na conta a todas as horas do dia, independentemente do que eu esteja a fazer nesse momento, e a liberdade de poder SER, TER e FAZER tudo aquilo que me proponho fazer… o preço para ter tudo isso, dizia eu, é muito barato.

A nona coisa de que precisas para seres livre é poderes Influenciar Positivamente o Mundo.

 

(<<- Ir Para o Início da Série) (Continua Aqui ->)

 

4 thoughts on “Apreciar o Preço Que Se Paga Pela Liberdade”

    1. Obrigado Pedro pelo teu comentário. Tens alguma história pessoal em que tenhas pago um preço elevado para poderes fazer aquilo que querias? Em que tenhas abdicado de algo importante para teres algo ainda mais importante? Queres partilhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.