Boa tarde

Esta é a minha mãe.
Ela está agora mesmo a cortar erva num terreno perto de casa dela, com uma enxada.

Ali ao fundo estão plantadas batatas e semeadas favas que ela plantou e semeou.

Quando cheguei ali, enquanto estava a tirar esta foto, ela tinha parado um pouco.

Perguntei-lhe porque estava ali a cavar e ela respondeu :

Ai filho, estou cheia de dores no corpo todo. Mas tanto me dói aqui como me dói em casa e fazem-me falta estes movimentos.

A minha mãe está clinicamente imobilizada. Tem tantos problemas nos ossos e nas articulações que não era suposto poder sequer andar.

Mas para ela não há desculpas.
Anda quanto quer
Cultiva o que lhe apetece.
Sem desculpas.

O “fácil” ou o “difícil” não são critérios de decisão para a vida dela.

Por causa desta energia elevada que tem:

  • Tudo cresce à sua volta como por magia.
  • Nascem coisas por todo o lado.

Até se semeiam sozinhas as alfaces e chicórias, salsas e coentros. Fisálias e tamadindos teimam em aparecer e dar frutos sem qualquer intervenção humana.

Acho que é a mãe natureza a dar uma ajudinha à minha mãe mostrando-lhe tanto apreço.

Trouxe comigo uma chicória gigante, uma das que nasceram sozinhas.

Fiz a foto que estás a ver, estou a escrever isto, e a minha mãe continua o milagre de se mexer em cumplicidade com a mãe natureza que continua o milagre de fazer nascer tudo por todo o lado em grandes quantidades.

Acho que, se a gente der um pouco, receberemos quase nada.

Acho também que, se a gente der o nosso máximo, sem medida, também recebemos sem medida porque há alguém lá em cima a certificar-se de que é assim.

Boa tarde desde o Ninho das Águias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.