mentalitude por Rui GabrielTrabalhas com Marketing de Afiliados ou com Marketing de Rede? O Facebook não aprova os teus anúncios, ou cancelou-te a conta? Andas em Guerra contra o Facebook?

Queres saber como anunciar qualquer coisa, ter todos os anúncios aprovados, e ser amado pelo Facebook e pelos teus fãs?

[fancy_box id=1]NOTA IMPORTANTE PARA MARKETERS: Tudo o que te vou mostrar neste artigo foi o que eu próprio vivi, fiz e entendi de como as coisas funcionam. Os resultados que vou mostrar são os meus, e as explicações que te vou dar são as minhas. Tudo o que te mostro aqui funciona.

Neste artigo vais ter montes de recursos e informação que poderão encurtar dramaticamente a tua curva de aprendizagem, mas essa curva vai existir, ou seja: Vais ficar cada vez melhor à medida que vais fazendo as coisas. Se no começo tens poucos resultados, terás cada vez mais, com cada vez menos esforço.

Vamos ao trabalho.[/fancy_box]

Quando comecei a impulsionar posts em 2013, o Facebook tinha acabado de disponibilizar essa funcionalidade.

Fazia um post com um texto a falar de rendimento extra, de dinheiro, a falar de “ganhar $1000 dólares por dia” (que eu já ganhava online) e gerava tantos contactos que fiquei viciado no F5 (a tecla para atualizar o ecran).

De cada vez que atualizava o ecran tinha mais 2 ou 3 contactos, a 1 cêntimo por contacto.

Em pouco tempo toda a gente na indústria começou a usar essas novas funcionalidades do Facebook. Numa semana, em cada 6 anúncios que apareciam na lateral 5 eram de alguém do meu grupo de trabalho. Uma invasão!

Depois, milhares e milhares de pessoas começaram a fazer dezenas de milhares de anúncios prometendo “Ficar Rico Sem Fazer Nada”, esquemas de pirâmide e outras atividades de ética e legalidade duvidosa. Um descalabro!

Porque é que o Facebook se protege da indústria do Marketing de Afiliados e do Marketing de Rede (o Google já o fez no passado também) ?

O Facebook confunde frequentemente “genuíno marketing de rede” ou “marketing de afiliados”  com esquemas de pirâmide, ou de “enriquecimento rápido” e não permite que se faça publicidade paga para este tipo de conteúdos.

Alguns companheiros e companheiras do multinível ou afiliados acham mal que o Facebook tenha este tipo de “preconceito” mas a realidade é esta:

“Quem não quer ser confundido com um lobo não lhe vista a pele”

E a verdade é que a grande maioria dos participantes em multinível e em sistemas de afiliados fazem precisamente as mesmas coisas online que fazem os participantes em esquemas ponzi, pirâmides, cadeias financeiras, bolhas, etc…: – Prometem resultados rápidos sem trabalho e induzem as pessoas a pensar que podem ficar ricas fazendo pouco, ou nada.

Como o Facebook não vai ver o teu negócio e avaliar se é ou não legal, ou se é ou um esquema para enganar as pessoas, limita-se a observar e a punir as atividades que tens. Se agires da mesma forma que agem os “ponzis” és tratado da mesma forma.

Anúncios para posts suspeitos podem ser eliminados e os seus autores penalizados. E, são considerados posts suspeitos:

  • Posts que tenham palavras como “dinheiro”, “rendimento extra”, “trabalho em casa”, “ficar rico”, e alegações do estilo.
  • Posts diretos para páginas de captura
  • Spam: divulgação em massa de mensagens para os inboxes de pessoas, invasão de grupos de Facebook com a mesma mensagem
  • Posts com elevada opinião negativa (maus comentários, dislikes (o famoso “não quero ver isto” ou “quero isto fora do Facebook”), queixas de spam feitas por um número considerável de utilizadores.

Pensa um Pouco: Se o Facebook Fosse Teu, o que Farias?

O Facebook quer que os seus utilizadores tenham boas experiências de uso dentro da plataforma. É daí que vem a sua popularidade e todo o seu dinheiro.

Conheço um bloguer e marketer que foi banido de fazer publicidade no Facebook numa altura em que estava a gastar 200 mil euros por ano ali. Não penses que poderás continuar a promover mau conteúdo segundo os critérios do Facebook se gastares muito dinheiro. Para o Face, dinheiro nenhum vale a perda de utilizadores por terem más experiências.

Se pagares para o Facebook mostrar um post, com um link para a tua página de captura por exemplo, e esse post tiver uma opinião negativa por parte dos público que o está a ver, o Facebook vai receber o teu dinheiro, mas vai mostrar o teu post menos vezes e a menos pessoas: a publicidade fica-te mais cara.

Algumas pessoas aumentam o orçamento e começam a pagar 30% mais caro por cada contacto, depois 50% depois o dobro. Na realidade estão a obrigar o Facebook a mostrar um conteúdo que as pessoas não querem ver, sobre o qual têm uma opinião negativa. Ele detesta isso porque estás a obrigá-lo a proporcionar uma má experiência aos seus utilizadores.

Caso faças 3 ou 4 ou 10 anúncios pagos do mesmo tipo, todos com uma opinião negativa acima da média, vais receber uma visita do auditor humano de conteúdo do Facebook. Ele poderá desaprovar as tuas campanhas, manualmente, mesmo que tenham sido previamente aprovadas pelo robot que verifica automaticamente todos os conteúdos.

A “desaprovação” tem sempre um motivo e esse motivo é normalmente este:

“O teu anúncio não cumpre as normas de publicidade do Facebook”.

Não vais poder continuar a pagar para o Facebook mostrar esse teu post com o teu link. E isso vai começar a acontecer cada vez com mais frequência.

Dentro em breve, poderás ver não-aprovada qualquer campanha que faças dentro da tua página de fãs e, caso pretendas continuar a fazer publicidade paga terás de fazer uma nova página, com zero fãs e começar de novo.

O que tu vais fazer daqui para a frente vai determinar o teu futuro como utilizador profissional do Facebook.

Algumas pessoas “Entram em Guerra com o Facebook“:

  • Insistem em fazer anúncios com o mesmo tipo de posts
  • Criam perfis falsos
  • O robot de conteúdo vai aprovando os anúncios
  • Um dia o auditor humano vai ver de novo cada campanha
  • Vai desaprovar campanhas que até estavam a correr, algumas há bastante tempo.

Algumas pessoas “Continuam a Guerra com o Facebook“:

  • Fazem mais anúncios com o mesmo tipo de posts
  • O robot começa a não aprovar muitos deles
  • Insistem em pagar para obrigar o Facebook a mostrar conteúdos de que as pessoas não gostam
  • O Auditor humano vai ver as campanhas, links, páginas de destino…

… e um dia vais receber uma mensagem deste tipo:

“A tua conta de anunciante foi cancelada. Não poderás voltar a fazer publicidade paga no Facebook”

Algumas pessoas entram em pânico porque o Facebook era fácil de usar, trazia leads e vendas… e agora “coitadinho de mim!” fui expulso e não sei o que fazer.

Pedem conselho a alguém e recebem este conselho, vindo de pessoas que cometeram os mesmos erros e não aprenderam com a lição:

– Faz outro perfil usa um nome falso, ou põe outro cartão com o nome de outra pessoa….

Quem já fez este tipo de “artimanhas” já sabe que o Facebook sabe tudo e estes estratagemas não servem de muito. Pior ainda se, depois de teres outras contas continuares a fazer o mesmo: a desrespeitar as normas de publicidade da plataforma.

Se passaste ou estás a passar por situações como as que descrevi acima, pode ser interessante para ti tentares uma outra abordagem.

Que dirias se o Facebook te adorasse? Se pagasses a publicidade a metade do preço de outras pessoas da tua indústria? E se gerasses mais contactos, mais vendas e mais influência do que qualquer outra pessoa no teu nicho?

 

escola de negocios videos gratis especial facebook
Escola de Negócios inclui um Case Study especial demonstrando como foi convertido 1 euro por dia em mais de 2900 dólares de lucro num só mês.

Começo por fazer uma abordagem do óbvio. É possível que tenhas visto isto a acontecer, e, se não viste ficas a saber que é comum:

Porque é que uma pessoa faz um anúncio no Facebook e tem um certo resultado e a outra faz precisamente o mesmo e tem um resultado completamente diferente?

Uma das coisas que mais aprecio no Facebook é o facto de ser um organismo inteligente. O que mostra a uma pessoa depende de inúmeros fatores. Hoje vou falar de alguns deles, os mais importantes no meu ponto de vista para o assunto que nos traz aqui hoje: Publicidade Paga no Facebook.

Quando uma pessoa publica alguma coisa o Facebook imediatamente começa a escolher a quem mostrar esse conteúdo, mesmo sem o autor pagar para isso (audiência orgânica).

A escolha da audiência tem a ver, além de outros fatores de que falarei mais à frente, com os amigos e fãs que o autor tem, o histórico de interação que as suas publicações têm, os assuntos que interessam ou deixam de  interessar aos seus amigos e fãs.

Por esse motivo algumas publicações têm um alcance maior do que outras. Por esse motivo um post colocado por uma pessoa tem um alcance diferente do mesmo post (até pode ser copiado literalmente) publicado por outra pessoa. Cada uma tem o seu estilo de seguidores e um histórico de interação.

Quando se promove (a pagar) um post ou se faz um anúncio, o Facebook vai colocar “a matemática” a trabalhar para escolher a quem mostrar esse post, neste caso, a quem vai mostrar o anúncio pago.

Quanto maior for o interesse dos nossos amigos e fãs nesse assunto, maior vai ser a audiência orgânica (não paga), mais viral se vai tornar e mais alcance terás com o mesmo dinheiro. Logicamente: mais pessoas vêem o teu anúncio com o mesmo dinheiro logo: tens mais tráfego à tua página, logo: mais baratos os contactos.

Se o interesse dos teus amigos e fãs (ou da tua audiência personalizada, no caso de um anúncio pago) for baixo, vais ter menos tráfego orgânico, o Facebook vai mostrar menos e tu vais ter tráfego e contactos mais caros.

Certo?

[fancy_box id=4][content_upgrade id=2084]►CORREIO de ÚLTIMA HORA: O Que Há De Novo Na Economia Digital?◄[/content_upgrade][/fancy_box]

Já sabes que o Facebook mostra mais o teu conteúdo se ele for do interesse dos teus amigos ou fãs.

Também já sabes que o Facebook te cobra valores diferentes por cada visualização conforme o interesse do teu público quando fazes uma publicidade paga.

Agora a Pergunta do Milhão:

Mas…. como saber quais os critérios do Facebook? Como prever o que vai acontecer? Será um mistério? Tem alguma lógica que possamos compreender?

A resposta é: Sim! Há critérios, podes prever o que vai acontecer, não há mistério nenhum mas sim uma lógica fácil de compreender.

Como funciona o algoritmo do Facebook?

“Algoritmo” é o palavrão que descreve a fórmula matemática usada pelo Facebook para decidir tudo o que acontece na plataforma. O Facebook é como um Big Brother. Sabe tudo. Sabe coisas sobre nós que nós mesmos não suspeitamos.

Isso acontece porque todo o negócio dele vem do facto de poder mostrar anúncios a pessoas que mais facilmente poderão interessar-se por determinado produto ou serviço.

Para saber este tipo de informação o sistema monitoriza permanentemente inúmeras ações de cada utilizador, guarda esses dados, e utiliza-os automaticamente para tomar decisões acerca de que  posts e que anúncios pagos mostrar a cada pessoa.

O que te vou dizer pode surpreender-te mas é a realidade. O Facebook recolhe este tipo de informações acerca de ti:

  • Dados demográficos: nome, idade, estado civil, filhos, morada, estudos, empregos
  • Comportamentos: horas por dia na plataforma, partilhas de coisas de terceiros, produção de conteúdos próprios, interação com posts de outras pessoas
  • Preferências: O Facebook sabe as coisas de que gostas e vai melhorando o seu conhecimento à medida que vai monitorizando o teu comportamento. Monitoriza por exemplo:
    • Cliques, likes, partilhas e comentários
    • Que conteúdos passas o mouse por cima (mesmo sem clicar)
    • Que conteúdos no teu feed tu paras uns segundos (significa que estás a ver mesmo sem clicares neles)

Juntando todos os dados durante um longo período de tempo, o Facebook conhece-te melhor do que tu mesmo. Vai mostrar-te conteúdos relevantes de acordo com o teu comportamento.

No outro dia uma amiga minha estava muito indignada porque só via mortes e violência no seu feed. Comentou comigo que o mundo estava a acabar com tanta violência.

 

Eu expliquei-lhe que ela só via essas coisas porque as via quando lhe eram colocadas na frente. Ela consumia avidamente todos os vídeos de desastres, via-os até ao fim, com indignação. Comentava alguns deles a expressar a sua revolta pelo que o vídeo mostrava.

 

Quando lhe mostrei o meu feed, ela entendeu, escandalizada, que afinal ela gostava mesmo de ver aquela violência, como os transeuntes param para ver um acidente. Apesar de isso a fazer sentir mal, ela não resistia e via com atenção.

 

Descobriu que o Facebook conhecia melhor os seus gostos do que ela estava disposta a admitir.

Quando publicas um post usas uma descrição com 20 a 100 palavras, ou maior. Usas uma imagem com determinadas coisas (pessoas, caras, paisagens, flores, animais…).

O Facebook analisa esse conteúdo e vai procurar dentro dos teus amigos ou fãs as pessoas que mais gostam desse tipo de conteúdos e vai-lhes mostrar o teu post. Já leste acima que “pessoas diferentes publicando o mesmo conteúdo têm resultados diferentes” e já sabes porquê.

Se esse primeiro público (que é relativamente pequeno) tiver um comportamento positivo acima da média para os teus conteúdos, então o Facebook vai expandir a tua audiência e vai mostrar o teu post a mais algumas pessoas, não tão obviamente fãs do teu post, mas que podem apreciar.

Esta é a segunda fase da expansão da audiência feita automaticamente e organicamente pelo Face. Até agora não pagaste nada.

Se este segunda amostra de público continuar a reagir bem o Facebook vai continuar a expandir organicamente a audiência e vai mostrar a cada vez mais pessoas, cada vez com menos probabilidade de se  interessarem até que a percentagem de pessoas que se interessam pelo teu post começar a diminuir.

Aí o Facebook pára e tu tens mais ou menos 90% de todas as visualizações orgânicas (não pagas) que aquele post alguma vez vai ter, caso não pagues nada.

Chegaste ao Plateau de Alcance da tua publicação. Este plateau é atingido mostrando a amigos, fãs e amigos de fãs em círculos de interesses cada vez maiores.

Há duas formas de expandires a tua audiência para fora destes círculos concêntricos que já deram o que tinham a dar:

  1. Promover o teu post em grupos de discussão sobre o tema do teu post. Desta forma vais apanhar audiência fora do teu circulo normal de influência.
  2. Fazer um anúncio pago promovendo o teu post e escolhendo a tua audiência por interesses. Desta forma vais buscar pessoas de fora da tua zona de influência, em larga escala pagando ao Facebook para as encontrar por ti.

facebook acha os nichos de mercado para ti

Esta é a magia do Facebook: Encontra o teu nicho por ti.

Não tens de fazer estudos de mercado, nem de tentar entender onde andam as pessoas que já estão interessadas naquilo que tu tens para dar ou para vender. 

Como o Facebook conhece extremamente bem todos os utilizadores, quando lhe pagas para ele lhes colocar na frente um determinado post que diz determinadas coisas, ele encontra-as facilmente e expõe-as ao teu anúncio.

Ele faz isso analisando as palavras e a imagem que usas no teu post (para fazer uma avaliação do nicho a quem mostrar esse conteúdo) e depois vai afinando a relevância do teu conteúdo conforme a interação das pessoas.

Quem fez publicidade num jornal, rádio, televisão, revistas ou publicidade exterior, sabe do valor que tem este recurso para quem o saiba usar. Esse empresários estão habituados a fazer campanhas sem terem noção da sua eficácia, não podem medir resultados, nem modificar nada depois de lançada a campanha, não podem escolher mostrar somente a pessoas que se interessam pelo conteúdo ou pelo produto em causa, porque os Mass Media são isso mesmo: meios em massa, tudo ao monte.

Confiam no trabalho difícil das agências para fazerem o se melhor. Porém hoje, qualquer pessoa individual tem nas suas mãos mais poder do que tinham grandes empresas há somente poucos anos atrás.

O facto de o Facebook ter este potencial é o que faz dele tão apetecível por todos os marketers e é por isso que é tão grande o prejuízo se uma pessoa for impedida de fazer publicidade paga no Facebook, pior ainda se foi por idiotice enquanto tentava “enganar o Facebook”

Tudo o que disse até aqui mostra como funciona esta plataforma, mas não mostra como fazer para o Facebook aprovar todos os anúncios, adorar-te, e mostrar os teus posts a milhares e milhares de pessoas sem teres de pagar quase nada por isso.

Como Garantir Que Os Meus Anúncios São Sempre Aprovados?

Primeiro deves recordar-te da intenção do Facebook: proporcionar uma experiência agradável aos seus utilizadores. Mais do que aos seus anunciantes.

Quando fazes um anúncio com um link para uma página de captura, estás a dizer uma coisa:

– Eu quero que os utilizadores do Facebook me dêem os seus emails

Isso não é mau, porém para o Facebook o teu interesse é tirar pessoas de lá para teu benefício e não estás propriamente a contribuir para o manancial de bom conteúdo que mantém as pessoas felizes dentro da plataforma.

Se operares em nichos como Marketing de Rede ou de Afiliados, e ainda por cima colocares anúncios a promoverem somente páginas de captura, o que o Facebook faz é restringir o alcance da tua publicação porque, convenhamos, não é muito atraente estar sempre a ver uma publicidade que me está a pedir para fazer isto, fazer aquilo, comprar isto, inscrever-me naquilo.

É o tipo de “assédio” que os utilizadores detestam e que o Facebook penaliza. (podes ler lá atrás, caso não tenhas lido ou não te recordes, como isto funciona)

Porém há uma forma brilhante de fazer publicidade ali, ter todos os anúncios aprovados instantaneamente, gerar montanhas de tráfego barato, apoiado pela audiência orgânica oferecida de bandeja.

Chama-se:  “Marketing de Atração”, “Marketing de Conteúdo”,  há quem lhe chame “Inbound Marketing”.

marketing de atração inbound marketing marketing de conteudo

Enquanto estou a escrever este artigo eu já sei que por causa dele, vou ter entre 300 e 400 leads nos próximos 7 dias, de graça.

Também sei que vou ter cerca de 1000 novas pessoas por dia a verem o meu post no Facebook com 1 euro em publicidade.

Também sei que durante os próximos 30 dias este artigo irá render entre 4 e 6 novos clientes e que irei ganhar cerca de 5 mil euros com o negócio gerado por eles.

(Devo recordar que os meus resultados não são típicos).

Eu sei estas coisas porque tenho as minhas estatísticas e consigo prever mais ou menos o que irá acontecer.

Vou dizer-te como sei estas coisas todas:

  1. Eu tenho um Blog Kalatú Premium que comprei aqui (o blog que estás a ler é um Kalatú Premium)
  2. Escrevo nele acerca das coisas que gosto. Falo de dinheiro, de viagens, de estilo de vida, de desenvolvimento pessoal, de ações humanitárias em Portugal e na África, de marketing e de família
  3. Tenho produtos digitais que promovo no meu blog e dou a possibilidade de tu e os outros visitantes poderem saber mais acerca daquilo de que gosto:
    1. A palestra de desenvolvimento pessoal dada a um grupo de empreendedores que ganharam mais de 5 milhões de dólares: Mentalitude
    2. Recuperar a qualidade de vida e prosperar na nova economia: Trabalho em Casa
    3. “Bloga sobre o que gostas, fala sobre isso, ganha dinheiro”: Bloguer Ninja Blog Marketing
    4. Trabalha Comigo (consultadoria)
    5. 5 horas de treino em Internet Marketing num treino privado para Lazy Millionaires: Escola de Negócios
    6. Sistema Inteligente da Empower Network e dos Lazy Millionaires para $1000 por dia
  4. Algumas das pessoas que estão a ler este  artigo irão querer usar esta informação e realmente começarem a ganhar dinheiro com ela:
    1. Empresários com empresas que pretendem usar este conhecimento para melhorarem os seus resultados
    2. Empreendedores independentes em multinível ou em afiliados
    3. Empregados à procura de um Plano B
    4. Pessoas particulares que querem ter um negócio online (ou ter um novo negócio, caso já tenham um)
  5. Algumas destas pessoas que querem mesmo fazer alguma coisa vão entrar em contacto comigo e vão comprar-me alguns produtos ou algum tipo de consultadoria.
  6. Vou ganhar algum dinheiro.

Com este sistema a funcionar aqui no meu blog, deixo por conta do Facebook trazer-me as pessoas certas, como tu, até aqui.

Muitas pessoas. Quantas mais pessoa melhor (tráfego) e quanto mais interessadas elas estiverem no meu conteúdo, nos meus serviços e produtos, mais facilmente irão comprar-me alguma coisa.

Com muitas dessas pessoas farei amizade. Iremos encontrar-nos, falar de negócios e vamos colocar em prática a realização dos seus objetivos.

É para isso que aqui estou, como já sabes.

O que faço no Facebook para ele me trazer milhares de visitantes com um orçamento ridículo de baixo?

Depois de escrever um artigo como este, publico um post na minha página de fãs do Facebook

Seguindo o processo de explico no Bónus Sobre Facebook aqui na Escola de Negócios promovo com algum dinheiro esse post dirigido a um público específico, escolhido de acordo com os seus interesses (e a quem eu sei que um artigo sobre publicidade no Facebook com a vertente de Afiliados e de Marketing de Rede possa interessar)

Deixo o Facebook fazer a sua magia e pronto.

Porque motivo o Facebook Adora o Marketing de Conteúdo?

Simplesmente porque em vez de estarmos a pedir aos utilizadores do Facebook para nos darem o seu dinheiro (tentando vender-lhes coisas) ou para nos darem os seus emails (prometendo algo numa página de captura) estamos de facto a contribuir para que os utilizadores do Facebook tenham uma boa experiência.

Estamos a dar conteúdo apreciado pelo nosso nicho. Estamos a pagar ao Facebook para mostrar mais do nosso conteúdo, conteúdo este que ele, por si mesmo já estava a mostrar a bastantes pessoas.

Estamos a criar uma boa-onda, a atrair visitantes qualificados para o nosso blog e aí, sendo a nossa casa, damos o nosso melhor, e propomos que a pessoa se envolva mais conosco, subscrevendo a nossa newsletter por exemplo, enriquecendo a comunidade com a sua opinião colocada num post do Facebook ou aqui mesmo no final do artigo-

Desta boa-onda só podem vir coisas boas. E vêm.

Quanto mais tempo passa maior é o poder que tens dentro do Facebook porque mais e mais pessoas se ligam a ti e te apreciam.

Quantas mais pessoas te apreciam, mais o Facebook gosta de ti.

Quando mais o Facebook gosta de ti, a mais pessoas mostra o teu conteúdo e menos dinheiro te cobra por isso.

Quando menos dinheiro te cobra, mais sobra para escalares, para tornares o teu negócio num caso sério de resultados.

É isso que eu sei fazer, é isso que eu faço e foi assim que ganhei os meus primeiros 500 mil euros online em pouco mais de 2 anos (recordo que os meus resultados não são típicos, afinal nem toda a gente sabia o que tu acabaste de aprender hoje com este artigo).

Gostaria de ter as tuas opiniões aqui no artigo, na forma de comentários. Qual é a tua experiência com o Facebook? Passaste ou estás a passar por alguma das dificuldades que enumerei? Que soluções encontraste, caso tenhas encontrado alguma?

28 thoughts on “Como Anunciar no Facebook Sem Ter Anúncios Reprovados Nem a Conta Cancelada”

  1. RUI EU ESTOU SEMPRE COM PROBLEMAS DE BLOQUEIO DE CONTAS DO FACEBOOK,NESTE MOMENTO ETNHO SÓ UMA CAMPANHA A DECORRER E TIVE QUE FAZER COM O NOME DO MEU IRMÃO,MAS OUTRAS QUE TENTEI FAZER EM SIMULTÂNIO,SEM ALTERAR A NÃO SER A PÁGINA DE CAPTURA PARA VER SE DAVA MAIS RESULTADOS POIS OS CONTACTO CONTINUAM QUASE A ZERO,UM NUM DIA OUTRO NOUTRO E ISSO NÃO ME LEVA A LADO NENHUM,SE EU ENTENDER BEM O QUE O RUI EXPLICOU PODE SER QUE CONSIGA POR O MEU NEGÓCIO A MEXER,OBG VOU LER MAIS VEZES PARA VER SE ENTENDO COMO DEVE SER OK.OBG.RUI.

    1. Obrigado pelo teu comentário António. A avaliar pelas maiúsculas, deves estar bem zangado :). Espero que o meu artigo te seja de utilidade e te ajude a superar as tuas dificuldades.

      1. rui estou com um problemao, o facebook rejeitou todos meus anuncios dizendo que que tem conteudo sexual e erotico e isso nao é verdade, trabalho com pousada e jamais colocaria esse tipo de imagem, o que posso fazer?

  2. Olá Rui, gostei muito de ler este teu artigo. Sei da tua experiência, este artigo vale OURO. Somos ainda uns pequeno pupilos em aprendizagem … 🙂 Agora vou ter uma atenção redobrada para ficar sempre “amiga” do Face.
    Alguns dos erros que mencionaste eu faço, mal comecei a ler parei, para voltar a fazer, mas desta vez com as regras certas.

    1. Obrigado Carla. Recordo que o que escrevi e baseado na minha experiência e que não significa que funcione para ti da mesma forma, mas acho que já sabes disso. Posso fazer-te uma pergunta? Qual foi a parte do artigo de que gostaste mais ou que foi mais importante para ti?

  3. Olá Rui, Obrigada por partilhares os teus conhecimentos.
    São realmente de muito valor, vou ter em atenção as tuas dicas.
    Ter Amigos como tu é fundamental para o nosso desenvolvimento pessoal e profissional, o que escreves é de uma sabedoria extraordinária. Tu inspiras-me bastante com os teus posts. Desejo profundamente um dia poder escrever como tu, tudo encaixa na perfeição, Obrigada por existires…Beijinhos

    1. Anália, muito obrigado pelo teu comentário, faz bem ao meu ego 🙂 Porém, o melhor reconhecimento é que as coisas que escrevo e partilho aqui no blog te possam ser de utilidade. Queres partilhar aqui qual foi a parte deste artigo que mais impacto teve em ti, ou que achaste de maior utilidade?

  4. Olá Flavio, a tua mensagem errática vem das dificuldades de teclar num tablet debaixo de vento muito forte? 🙂 Como vai a tua jornada de peregrinação pelo Brasil? Onde estás agora?

    1. Rosilang, eu sei como pode ser desesperante o critério aparentemente aleatório do Facebook. Até falávamos de uma suposta “senhora com óculos” imaginária que favorecia uns anunciantes e prejudicava outros a seu bel prazer rsrsrs.
      Enfim. Fica mais fácil trabalhar quando se sabe o que se está a fazer.

  5. Olá Rui. Obrigada uma vez mais pelo artigo. Sou uma consumidora do teu blog e dos teus artigos.
    Mas este mostrou de facto que temos a grande “responsabilidade” de colocar material no facebook de valor, e não o “lixo” que se tem assistido e que eu própria em “desespero” também coloquei.
    Vou agora mesmo aplicar tudo o que nos ensinas em acção.
    Obrigada e até ao próximo artigo.
    Luísa de Sousa

    1. Luisa. Não pretendo dizer a ninguém “como deve fazer”. Isso é da responsabilidade de cada um. Como digo no artigo cada pessoa tem de fazer o seu próprio caminho.
      O que aqui partilho é o resultado da minha experiência.
      Gostaria que partilhasses aqui os teus resultados se usares o que aqui estou a ensinar. Pode ser?
      Muito obrigado

  6. Fantástico Rui…
    Já te ouvi pessoalmente a falares disto algumas dezenas de vezes, mas ainda assim há sempre que aprender.
    Obrigada pela tua partilha de conhecimento.
    Beijinhos

    1. Marina, ganhamos o equivalente ao valor que temos no mercado. Quanto mais e melhor dermos, mais valemos… e mais ganhamos. Certo? 🙂 grande abraço.

  7. RUI, achei interessante essa sua frase: “Quantas mais pessoas te apreciam, mais o Facebook gosta de ti”.Por isso você Rui, faz posts longos. Para segurar as pessoa mais tempo lendo seu artigos. O face book percebe isso? Será que estou certo?

    grato!

    Alberto

    1. Estas certíssimo Alberto. Usando o celular para navegar, nem chegas a sair do Facebook para visitar o artigo no blog e, claro, o Facebook mede isso. Porem o Google mede também e conta para a autoridade do blog o tempo que cada pessoa fica nele e se interage clicando em alguma coisa. O comportamento dos visitantes no blog mostram a sua qualidade e relevância e por isso o Google e o Facebook medem e guardam esses dados.
      Quanto mais os visitantes apreciarem os teus conteúdos mais o Facebook ou o Google os mostram. Vale a pena investir na criação de conteúdos adequados à tua audiência.

  8. Lição magistral em que se aborda a maneira de utilizar o facebook a nosso favor e não a te-lo como um peso morto, que não nos ajuda a avançar. OBRIGADO

  9. Pingback: Como anunciar en Facebook: anuncio desaprobado, cuenta cancelada, tráfico poco calificado
    1. Ben, muito obrigado pelo teu comentário. O Facebook, da mesma forma que todas as plataformas de publicação de conteúdos e/ou redes de publicidade mudam constantemente os seus algoritmos e temos de estar sempre atentos.
      Porém uma coisa nunca muda e hoje é mais forte do que alguma vez foi: o conteúdo tem de ser valorizado pela audiência. Isso é a única coisa que conta e que não muda. Vi o teu blog, gostei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.