“Não estarei destruindo meus inimigos quando os transformo em amigos?” Abraham Lincoln

Não sei se já ouviste dizer que as pessoas dançam conforme a música. Por outras palavras, respondem a gatilhos, ou a botões, como lhe queiras chamar.

É verdade. Se tu perceberes hostilidade noutra pessoa, respondes com hostilidade. Se perceberes paciência respondes com paciência. Se perceberes crítica respondes com autodefesa ou violência, consoante pretendes defender-te defendendo, ou defender-te atacando.

Por isso, todos os dias tens uma decisão importante a tomar: o mundo é amigável ou o mundo é hostil?

Desta decisão vão depender as tuas atitudes ao longo do dia.

  • Se decidires que o mundo é amigável, vais tratar todas as pessoas e situações como se não precisasses de te defender. E de facto não precisas, porque vais provocar reacções de sinal idêntico ao teu.
  • Por outro lado se decidires que o mundo é hostil, irás agir como se tivesses de lutar pela tua sobrevivência contra tudo e contra todos. Irás provocar precisamente o mesmo tipo de reacções nas outras pessoas que irão fazer com que, de facto, precises mesmo de te defender. Isso vai fazer-te não contributivo, desconfiado. Vai cristalizar as tuas convicções e tirar-te a flexibilidade que precisas para te adaptares às mudanças. Ou seja: o mundo transforma-se precisamente naquilo que tu temias quando tomaste a decisão de o encarar como hostil.

O importante é que saibas que isso é uma decisão tua. Nada tem a ver com o mundo fora de ti. Ele será amigável ou hostil consoante tu decidires que ele é.

Um exemplo: achas que mereces um aumento de salário. Se o teu paradigma for “o mundo é hostil”, irás pensar que o patrão não te irá dar o aumento, vai tratar-te mal, não quererá falar contigo acerca desse assunto e, se quiseres mesmo o aumento, terás de lho arrancar à viva-força. O que te parece que irás fazer? Provavelmente irás muito nervoso confrontálo e dizer: “dá-me um aumento senão!…”, “faço uma greve”, “despeço-me”, “não faço mais horas extraordinárias”, “amuo”.

É claro que, quanto maior for a tua hostilidade, maior será a possibilidade de o teu patrão ser hostil contigo.

Agora imagina que tu entendes que o mundo é amigável. Achas que mereces um aumento, pensas que o teu patrão está satisfeito por estares a fazer um tão bom trabalho e vai achar um aumento de salário como algo inevitável e justo. O que é que tu lhe dirás? Com toda a certeza que não o irás confrontar, mas sim colocar-te ao lado dele chamando a atenção para o teu trabalho e para a necessidade de vocês se ajudarem mutuamente para servir o melhor interesse da empresa. Tu com o teu trabalho ele com um aumento de salário.

É claro que não há dois patrões iguais, e o teu patrão pode ter decidido que, para ele, o mundo é hostil e que a tua conversa só serve para lhe sacar mais uns euros ao final do mês. Irá defender-se, mas tu, não te deixas contaminar, sorris e mostras capacidade de ser flexível oferecendo alternativas, estando aberto a sugestões da parte dele.

As probabilidades de conseguires o que pretendes, se tiveres determinação, paciência e sempre boa atitude serão enormes. Não podes é começar a dançar ao ritmo da música dele, tem de ser ele a dançar ao ritmo da tua.

Este é somente um exemplo, mas o mesmo acontece sempre que há uma interacção entre pessoas: se és um vendedor, ou um comprador; se convidas um amigo para vir ver uma oportunidade, ou um desconhecido; se procuras atrair uma namorada ou namorado, etc.

Em todas as circunstâncias tens de verificar qual a visão do mundo que está presente no teu subconsciente: hostilidade ou amizade? Vais agir em autodefesa, em modo-de-sobrevivência, ou, pelo contrário, vais agir em colaboração, em modo-de-contribuição?

É a tua escolha e dela dependem os teus resultados e o teu futuro.

Agora olha para o título deste artigo: “Como Pedir um Aumento”. Podes achar que o que escrevi são balelas e que, na vida real nada é assim. Não duvido que o penses. Mas o que te quero transmitir é que essa tua opinião é destilada directamente da tua visão do mundo, o que só por si vem dar provar verdadeira cada palavra deste artigo.

Agora já sabes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.