Já ouviste dizer que tens de colocar objetivos para ter sucesso? E que esses objetivos têm de ser “Escritos no Papel”, “Realistas”, “Mensuráveis”, “Relevantes” e “Datados?

Alguma vez o fizeste e falhaste redondamente? Queres saber porque motivo não funcionou e o que fazer para funcionar?

É que, quem te disse que tens de ter objetivos no papel, realistas, mensuráveis e datados esqueceu-se de te explicar uma variável importante. E essa variável invalida completamente a equação.

Quando fiz o treino Mentalitude para uma equipa de empreendedores de imenso sucesso, eles perguntaram-me porque motivo raramente conseguiam realizar os objetivos traçados e, por outro lado, quando não pensavam muito nisso, tinham imensos resultados.

Vou mostrar-te o porquê deste fenómeno: a única forma de teres o sucesso que queres e mereces é esquecer objetivos, metas e datas.

Não sei se já te aconteceu: num determinado momento da tua vida, tiveste bastante sucesso. Conseguiste fazer algo muito bom. Tiveste uma recompensa na forma de dinheiro ou de reconhecimento e apreço e lembras-te bem disso.

Não tinhas um objetivo, realmente. Pelo menos não tinhas um escrito no papel, mensurável, realista e datado, mas tudo fluiu e aconteceu sem saberes muito bem como. Foi bom e aconteceu.

Porém, vivendo num ambiente de mudanças rápidas e de muita imprevisibilidade, o teu sucesso veio e foi-se embora. Tentas entender o que o trouxe, e inventas uma quantidade de teorias porque queres reproduzir esse momentum. Até podes ter a ilusão de que entendeste o que se passou e que. se voltares a fazer as mesmas coisas de antes irás ter o mesmo sucesso.

Mas não tens.

Não o tens por 2 motivos:

  1. As circunstâncias mudaram.
  2. Tu mudaste.

Nunca conseguirás reproduzir um resultado somente a partir daquilo que tu te lembras que fazias, pois a maior parte do sucesso vem do subconsciente, logo não te apercebeste do que mais importa.

Chama-se a este fenómeno: a competência inconsciente. Pensas, avalias e atuas de forma super eficaz sem sequer te aperceberes da complexidade do que estás a fazer e, quando tentas explicá-lo, esbarras com dificuldades inesperadas.

  • Este é o motivo pelo qual o plano milagroso de um guru não te serve de muito: nem ele consegue explicar os detalhes que realmente fizeram as coisas funcionarem, nem tu consegues entender.
  • Este é o motivo pelo qual duas pessoas a fazerem as mesmas coisas, uma tem um sucesso incrível e a outra não tem sucesso nenhum.
  • Este é também o motivo pelo qual o teu plano não funciona quando tentas reproduzir algo espectacular que tu mesmo fizeste no passado.

Colocar objetivos no papel, realistas, mensuráveis e datados só funciona em atividades de resultados previsíveis num ambiente controlado, imune a mudanças repentinas. E esse ambiente, simplesmente só existe na imaginação.

Um artesão que produz e vende potes de barro, pode fazer um plano deste tipo:

  • “Quero ganhar 100 mil daqui a 3 meses, ganho 10 por cada pote, preciso fabricar 1000 potes”
  • Coloca o objetivo no papel: 100 mil, sabe que poderá produzir 1000 potes, coloca a data de 3 meses. Depois foca-se na produção de 16 potes por dia durante 66 dias úteis.
  • Caso o mercado fosse pequeno para tantos potes, ele necessitaria de acrescentar às suas tarefas diárias: “encontrar novos clientes noutros mercados”. Exportação, por exemplo.
  • Ao final dos 3 meses o artesão pode medir o quão perto ou longe ficou do seu objetivo, e traçar um novo plano com novas metas, datas, e números.
  • Objetivo colocado no papel, realista, mensurável e datado + plano de ação = todos felizes.

 

Mas porque é que isto não funciona assim para ti?

Porque as coisas não são, realmente assim. Há muitas mudanças em pontos chave do processo.

  • Imagina que o artesão do exemplo, faz este plano mas depois aumenta o custo das matérias primas, ele terá de achar uma forma de superar essa dificuldade. Se tiver determinadas qualidades pessoais, vai à luta, se não as tiver, pode abandonar o plano e desistir logo ali.
  • A procura poderia baixar e ele ficar com a casa cheia de potes, sem conseguir escoá-los. O seu mindset iria determinar como iria achar uma solução, que solução, se essa solução seria mais ou menos permanente ou se a dificuldade inesperada escondia uma oportunidade de expandir mais do que inicialmente previsto. O mindset que iria determinar as opções e, daí os resultados vem sempre do desenvolvimento pessoal acumulado no tempo.
  • Ou acontece algo na sua vida privada que o deixa sem energia para trabalhar, (morre alguém de família, divorcia-se, tem um acidente, aparece uma despesa enorme e inesperada… etc). Dependendo da sua visão para a sua vida, da sua determinação, pode andar para a frente ou ir-se abaixo. Pode achar nas dificuldades um motivo ou uma desculpa.
  • Ou mesmo que não aconteça nada de especial, vem a rotina dos 16 potes por dia e um dia ele decide que “hoje não vou trabalhar, amanhã compenso”, só para quebrar a rotina aborrecida. Mas no dia seguinte não compensa. Entra em culpa, desmotiva-se e abandona a ideia dos 100 mil em 3 meses. Ou então pode quebrar a rotina desafiando-se a fazer 20 potes por dia, e entra noutro padrão de produtividade. As decisões vêm sempre do seu mindset mas ele não tem consciência do mindset que tem, nem se esse mindset serve o seu propósito ou o prejudica.

Tudo pode acontecer quando existem mudanças grandes nas condições iniciais. E a forma de lidar com essas mudanças depende em 100% do subconsciente .

A auto-estima, os receios e medos, as competências inconscientes, tudo. Tudo ajuda ou prejudica o resultado.

Quando traçaste a meta de “Ganhar Mil Dólares por Dia” provavelmente subscreveste esta página e viste o vídeo. Isso iniciou um caminho que te pode levar lá se tiveres consciência das 2 verdades escondidas por detrás de todo o tipo de “estabelecimento de objetivos”:

Vou Relevar-te as 2 Verdades Escondidas Que Te Impedem de Realizar um Objetivo No Próprio Momento Em Que O Colocas No Papel.

Aliás, o facto de o colocares no papel e colocares um prazo, iniciam uma cadeia de acontecimentos que te vão atrapalhar muito mais do que possas imaginar.

Conselho: Não Coloques Objetivos No Papel, e Muito Menos Com Datas.

É só um conselho.

 

I- A Primeira Verdade Escondida:

Os nossos resultados vêm das nossas ações, as ações vêm das decisões, as decisões vêm das nossas emoções e as emoções vêm do subconsciente. Este nosso subconsciente lida com milhões de peças de informação a cada segundo não segue planos definidos no papel pelo seu amigo “consciente” que consegue lidar com 5 ou 7 somente.

Imagina que encontras na rua uma pessoa que te dá uma peça de um puzzle. “Esta era a peça que me faltava no meu puzzle: depois de a colocar tudo fez sentido e o meu puzzle ficou perfeito.”

Só que o puzzle dela não é igual ao teu. A peça que completa o puzzle dela não é a mesma peça que completa o teu.

Quando colocas uma meta no papel estás a tentar encaixar uma peça num puzzle mas essa peça não pertence ao teu puzzle. Vem de fora, vem do teu desejo ou da tua necessidade ou da opinião de outra pessoa ou da experiência de um guru.

Nunca terás sucesso enquanto seguires a definição de sucesso ditada por outras pessoas.

Esquece isso. Tu não precisas de objetivos, precisas de direção. Aliás, traçar metas pode fazer mais mal do que bem.

Quando avanças com uma direção, as metas são alcançadas obrigatoriamente. Não precisas traçá-las, elas estão, a meio do caminho, e percorrendo o caminho naturalmente vais ultrapassar todas elas.

Porque motivo a tua performance pode melhorar consideravelmente com menos esforço se não traçares metas nem objetivos? Por causa da segunda verdade escondida:

II- A Segunda Verdade Escondida:

Aposto que não tinhas consciência disto mas é muito engraçado:

O medo inconsciente da mudança tem planos de sabotagem subtis que minam qualquer plano.

Precisas tomar consciência e deixar de ter medo.

Quando colocas um objetivo no papel, desencadeias uma verdadeira tempestade subsconsciente. Acontece um turbilhão de coisas alinhadas para te sabotar.

A primeira dela é o teu histórico de conquistas.

Vai repassar pela tua mente em fracções de segundo um filme que te mostra de forma emocional (lembra-te a emoção é a voz do subconsciente) o teu histórico: se falhaste nem que seja uma vez, vais sentir-te um falhado imediatamente em relação a este novo desafio. Se nunca falhaste vais sentir-te confiante de que vais conseguir realizar este objetivo.

O problema é que todos já falhámos pelo menos uma vez e a nossa mente mostra-nos essa falha com muito mais intensidade do que alguma vitória que possamos ter tido.

Temos um medo inconsciente da mudança. A nossa mente vai fazer o seu melhor para nos proteger da mudança, da incerteza e da insegurança.

Por esse motivo a mente subconsciente pode ser mestre na sabotagem. E é se lhe dermos oportunidade, e que melhor oportunidade para um ladrão que saber qual o objetivo, planos, metas, recursos que tem a sua vítima?

Quando colocas objetivos no papel, datados, realistas e mensuráveis estás a desafiar o teu subconsciente a ver quem tem mais força: ele ou o teu desejo.

Perdes sempre.

 

 O Método Invulgar Para Realizar Objetivos Fantásticos, Assim… Sem Querer:

Esta é a forma de colocares o teu subconsciente a trabalhar para ti, sem esforço nem stress:

  1. Decide qual a tua direção: algo que queres muito e que te emociona só de pensares nisso. A emoção é a forma como o subsconsciente comunica contigo.
  2. Diz sempre sim àquilo que tu sentes que te impulsiona nessa direção. Doa o que doer, custe o que custar.
  3. Dá o teu máximo para teres as melhores condições possíveis de sucesso: reúne todos os recursos (dinheiro, tempo e competências) e alia-te a todos os aliados para aproveitares também os recursos deles (e eles os teus, claro), como te mostro no artigo acerca de Ter Sucesso Em Qualquer Coisa Que Se Queira.
  4. Identifica as ações que precisas executar e que te levam naquela direção.
  5. Coloca ação massiva nas ações. “Fazer muito”é sempre melhor do que “fazer perfeito” porque o querer “fazer perfeito” abranda a ação, enquanto que “fazer muito” acelera tanto a ação como aumenta a perfeição, com o tempo.

Esquece o objetivo. Não há objetivo, somente direção. Um dia vais dar por ela e verificas que conseguiste mais do que alguma vez tinhas imaginado.

E acontece uma coisa engraçada: quando olhas para trás e tentar identificar “o que fizeste para dar este resultado” coças a cabeça e, se fores honesto dizes “não sei”.

Se alguém te perguntar “qual o segredo do sucesso” tu respondes: “não faço ideia!” porque se tentares descrever as ações que realizaste e que produziram o resulado estás somente a mostrar uma peça do teu puzzle que não será o que falta no puzzle dessa pessoa.

E, se insistires para a pessoa fazer aquelas acções específicas que tu dizes que funcionam, estás somente a atrasar o processo dela. O que ela precisa fazer é um processo semelhante ao teu, achar as próprias peças do próprio puzzle.

Olha, pode ser boa ideia dares-lhe o link deste artigo para essa pessoa ler. Quem sabe….

 

 

 

 

8 thoughts on “Como Ter Sucesso Sem Traçar Objetivos”

  1. Alguma vez notaste, Artur, que assim que colocas um objetivo à frente parece que tudo começa a correr mal? É como decidir deixar de fumar e dar logo vontade de fumar 2 ou 3 cigarros, ou quando alguém decide perder peso apetece-lhe logo comer um bolo. Na verdade entra-se em luta contra a mudança. Alguma vez te aconteceu algo deste tipo?

  2. Seus artigos são sempre muito esclarecedores. Gosto muito das suas orientações.
    Esse artigo que acabei de ler, nos dá o que pensar.
    Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.