“Faz o teu dever e um pouco mais, e o futuro tomará conta dele mesmo.” – Andrew Carnegie

Isto apresenta dois problemas. O primeiro é identificar o que é o teu dever, o segundo é saber quando é que ele está cumprido e a partir de quando é que estás a fazer um pouco mais.

Vou dar um exemplo. Tu tens um emprego. Contabilista. O teu dever é fazer as contas das empresas por forma a organizar a vida fiscal delas. Certo? E o teu dever termina onde? Em cumprir os prazos? Em contabilizar tudo certinho? Em ajudar o teu cliente como pagar menos impostos? Em dar-lhe dicas, soluções? E a tua preocupação? É muita, pouca ou nenhuma? E a tua gentileza? E a tua paciência? Estás focado em cumprir as tarefas ou em cumpri-las de forma excelente? E o que é ser excelente naquilo que tu fazes?

A resposta é “modelação”. O “desenho técnico” que tens na tua mente e que descreve o teu dever e o que é ser excelente, vem de um exemplo. Alguém que tu contactaste, ou conheceste, que fazia as coisas de determinada forma e que, para ti, representa o paradigma da competência, do cumprimento do dever e da excelência.

5-signs-its-time-to-fire-mentor

Tu vais comparar-te com esse modelo e avalias-te por aí. O problema é que o teu modelo pode ser o teu patrão e ele pode ser medíocre. Ou pode ser um colega, ou alguém da tua profissão que não é de facto excelente.

Por isso deves ter um mentor: procura a melhor pessoa que possas encontrar na tua profissão e cola-te a ela. Faz o teu “modelo tridimensional” para que possas copiá-lo, avaliar-te e melhorar-te. Começarás a entender o que é dar o máximo e mais um pouco, quando te comparares não com o teu modelo mas com os teus colegas de profissão.

Vais verificar que estás muito à frente, que tens uma visão mais nítida do futuro, que trabalhas mais, és mais eficiente e tens muito mais resultados.

Então, olhando para o teu percurso vais entender onde foi que ultrapassaste o dever e foste excelente.

Consegues ver isso depois, porque no momento em que estás a viver essa situação, só sabes que estás a dar tudo por tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.