“A vida está cheia de miserabilidade, solidão e sofrimento – e acaba cedo demais.” – Woody Allen

Seria de supor que, se algo é tão mau, nós desejássemos que terminasse rapidamente. Não com a vida.

Queixamo-nos de que a vida passa a correr, que é um vale de lágrimas. Depois, se alguém morre novo, coitado era tão novinho. Se chegamos a velhos dizemos: “que tristeza, vejam lá no que a gente se torna!”

Se eu fosse Deus não sei se teria paciência para me aturar, a mim, humanidade.

Talvez equilibrem a balança aqueles de nós que nunca se queixam.

  • Podem protestar, mas não se queixam.
  • Podem não ter, não ser nem poder fazer o que desejariam, mas não se queixam.

– Em vez disso lutam, trabalham, esforçam-se para se superarem todos os dias.

Penso eu que estas pessoas estão a ensinar a Deus uma lição: “Eu fui lançado neste mundo da forma como tu me fizeste, mas quando voltar para tua casa serei uma versão muito melhorada.”

  • Como vingança acho que está óptima e como lição está perfeita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.