“Na vida, precisas ou de inspiração ou de desespero.” – Anthony Robbins

Dito de outra forma, a inércia tem um peso tão grande sobre nós que, para avançarmos, precisamos da cenoura ou do chicote.

É a nossa natureza: ou corres na direcção de algo que desejas ardentemente, ou para fugir de alguma coisa. Ou és movido pela procura do prazer ou pela fuga da dor.

É bom estar satisfeito com a própria vida, usufruir das conquistas, celebrar o que temos, fazemos e somos. E não importa o quanto nós alcançámos, tem de ser celebrado.

Mas a celebração tem uma hora para iniciar e para terminar. “Depois da festa sua a testa”, depois da celebração, trabalho árduo. Não te deixes agarrar pela inércia da zona de conforto mais de um dia ou dois. Entusiasma-te ou desespera-te rapidamente e avança.

Há tantas coisas para fazer, ter e ser, que mesmo que não pares um segundo nunca ficarás completo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.