“Quando a vida lhe sugerir desafios, não fique circulando ao redor dos seus hábitos comuns.” – Walter Grando

Não penses que tens escolha. Não há escolha. Se tens um desafio a tua opção não é responder a ele ou não, a tua opção é mudar de vida ou ficar na mesma.

A partir do momento em que decides mudar de vida, acabaste de colocar a tua liberdade de escolha nas mãos do Universo, ou de Deus, ou da Consciência Infinita. A tua resposta é “sim” ou é “sim”.

Não penses que tudo tem um retorno, que, em assuntos vitais, podes decidir de qualquer maneira porque amanhã poderás sempre voltar para trás. Engano teu, não podes. Em tudo o que é estruturante na tua vida não há retorno.

Não o houve quando foste concebido (não poderias nunca ser “desconcebido”), não houve retorno quando decidiste dar o primeiro beijo, ou a virgindade, ou o teu primeiro amor, não há retorno de todas as bênçãos que recebeste nem de todos os desafios que enfrentaste, não há retorno nos sofrimentos que infligiste nem na felicidade que proporcionaste. Não haverá retorno quando fores embora deste mundo.

Então não podes pensar que és livre enquanto não entregares a tua liberdade e a empenhares em algo que não tenha retorno.

Tudo te será dado, muito mais do que tu pediste, mas de forma tão diferente daquela que tu imaginaste! Nenhuma bênção te é dada sem que dê o máximo de frutos e sem que te ponha à prova uma última vez: “Serás a pessoa certa para a receber ou terei de procurar outro?”- parece Deus dizer.

Então tens este último desafio para cumprir. Não poderás nunca pensar em ficar como antes. Não. De cada vez que és abençoado terás de crescer em correspondência.

Haverá alguma coisa melhor? Recebes prosperidade e ainda te tornas uma pessoa melhor no processo. Sinceramente eu acho um pouco desproporcionada esta economia, mas Jesus Cristo disse um dia: “tira o dinheiro a quem tem pouco e dá-o a quem tem muito, porque quem tem serlhe-á dado ainda mais e a quem não tem, mesmo o pouco que tem lhe será tirado.” (Lc 19,26) Acho que entendi.

Não concordo lá muito bem, mas entendi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.