“A excelência não é uma competência, é uma atitude.” – Ralph Marston

Não confundas uma “acção” com uma “atitude”.  A primeira é algo que executas, a segunda é a forma continuada de pensar que provocou aquela determinada acção.

A partir de uma quantidade razoável de acções poderás inferir qual a atitude de uma determinada pessoa em relação a certo assunto. Por isso é importante trabalhares sobre as tuas atitudes, a tua filosofia de vida, a tua mentalidade.

Ela produz acções, mas não esqueças que ela também é resultado dessas mesmas acções pelo que tem cuidado com o que pensas: pode tornar-se realidade, mas tem igualmente cuidado com o que fazes porque pode transformar-se em atitude.

Enfim, comecei a desbobinar acerca das acções e das atitudes, mas do que queria mesmo falar era as competências e das atitudes.

Uma competência é algo que vem de fora de ti para dentro e uma atitude é algo que vem de dentro de ti para fora.

Explico: quando adquires uma competência, estás a integrar informações externas com aquelas que tu já possuías. É um processo de aprendizagem. Quando essa integração está feita melhoraste-te a ti mesmo, que adquiriste uma nova competência.

A atitude é precisamente ao contrário.

Através dela estás a integrar o mundo fora de ti com o mundo que tens dentro, estás a expor-te, a interagir usando um conjunto de acções e a modificar o ambiente e as circunstâncias. É através da atitude, por via das acções que podemos relacionar-nos com o mundo e com os outros e, de facto, moldá-lo, modificá-lo até este encontrar o ponto de equilíbrio entre o que temos dentro e o que está fora.

Agora a grande novidade: pelos vistos, a avaliar pela frase de hoje, a excelência depende mais da nossa atitude, do que da nossa competência.

Ou seja: depende mais da nossa contribuição do que da nossa capacidade de absorção.

Esta descoberta deixou-me muito entusiasmado porque, se nem toda a gente tem a mesma capacidade de adquirir novas competências, todos têm igualmente possibilidade de contribuir com aquilo que são.

Isto é extraordinário.

Coloca a liberdade e a responsabilidade nas mãos de toda a gente, independentemente da sua inteligência, educação, capacidades ou auto-estima.

Eu que já começava a pensar que esta coisa de ser Excelente em alguma coisa fosse apanágio de alguns. Não é. Depende da atitude e não da competência. E atitude é coisa que está ao alcance de toda a gente, até de ti e de mim.

Talvez não tenha sido muito claro, mas não importa. Se aproveitares alguma coisa já está bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.