Bom Dia (eram 10 da manhã quando escrevi esta reflexão)

Levantei-me tarde, o dia cheio de sol atraiu-me para o deck com uma caneca de café na mão.
Estava lá a minha cadela a apanhar sol, sentei-me ao pé dela, fiz esta foto e comecei a pensar:
A Maia tem 76 anos (em anos de cão) e está-se a borrifar.

– Quando a chamava vinha a correr, obediente.
– Quando fazia asneiras e eu ralhava com ela ela ficava muito triste.
– Quando a recompensava por alguma coisa boa, parecia uma criança de tão feliz.

Facilmente controlada pelo medo do castigo e pela promessa de recompensa.
Lembra-te alguém?

Mas hoje a Maia é livre. Está-se borrifando.
Acho que entendeu que faça o que fizer, o mundo não acaba.
Parece-me que entendeu que o meu controlo sobre ela não é real, existe somente na cabeça dela e na minha.

Então, desde há uns tempos para cá a Maia foi-se libertando.

– É muito dócil, mas é porque quer.
– Quando a chamo, ela ouve, olha para mim, e fica sempre mais bocado a comer as maçãs que não devia ou a correr pela erva atrás de um papel iu de uma borboleta. Depois vem.
– Quando me zango com ela, olha para mim muito séria (acho que é só para me fazer sentir que estou no controlo) , e depois vai para o lugar dela nitidamente na maior das descontrações.
– Quando a recompenso ela aproveita, fica toda contente, mas faz questão de mostrar que fui eu o treinado a dar-lhe o que ela quer e não ao contrário.

Eu sei que tenho autoridade sobre ela, mas somente na medida em que ela o permite.
A Maia tem 76 anos em anos de cão e é livre.

  • Vive no momento.
  • Aproveita o sol.
  • Faz o melhor com aquilo que tem.
  • Vive ao máximo cada minuto e está-se a borrifar para a autoridade porque parece ter ganho a consciência de que essa autoridade que eu tenho, só a tenho na medida e na quantidade em que ela o permite.

Hoje, enquanto lhe fazia companhia, a apanhar este sol da manhã aqui no deck, ia pensando nestas coisas e cheguei à conclusão de só seremos livres quando não tivermos medo de castigo nem desejo de recompensa.

Se tiveres medo do castigo ou desejo da recompensa, és muito fácil de domesticar por quem tenha o poder de te castigar ou de te recompensar.

Nem a Maia atura mais essas merdas de ninguém.

Entrega o poder a quem quiseres, mas precisas saber que, no fundo é tudo uma ilusão na tua cabeça e que podes libertar-te num segundo , se quiseres.

Bom Dia desde O Ninho das Águias.

2 thoughts on “Lição de Liberdade Dada Pela Minha Cadela”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.