Porque motivo haveria eu de escrever um artigo a falar da nova campanha do Turismo de Portugal com o título Can’t Skip Portugal (não podes passar ao lado de Portugal)?

Vamos avaliar alguns pontos das mensagens deste vídeo pois podemos ver como algumas das teorias do marketing, do vídeo marketing e do copywriting se podem aplicar com muito sucesso.

Creio que encontramos motivos de inspiração e casos de estudo em todos os lugares e este vídeo é um bom exemplo. Filmado em Dezembro e lançado em Maio apela à Liberdade, à Inspiração e aos Recomeços usando 3 histórias de 3 pessoas com textos inspirados que transcrevo aqui abaixo para que desfrutes deles também.

A Agência é a Partners, o slogan é “Can’t Skip Portugal” e os vídeos realizados por Pedro Varela, da Story. A distribuição dos vídeos será exclusivamente nos meios digitais, de modo a promover Portugal em 20 países, sobretudo da Europa, mas também Brasil, EUA, China, Rússia, Canadá e Índia. A nova campanha arrancou nesta terça-feira, 9 de maio, e envolve um investimento de 10 milhões de euros. (fonte: Briefing)

Vídeo (tradução mais abaixo no artigo):

[tweet_dis]Vê Aqui a Nova Campanha do Turismo de Portugal para Promover Portugal no Estrangeiro[/tweet_dis]

Vamos ao marketing? Sim, Começamos com 4 das boas lições de vídeo marketing que este vídeo traz.

Lição 1 de Vídeo Marketing: Pre-framing

Pre-framing é tudo o que acontece com o espetador antes sequer de começar a ver o teu vídeo: a tua descrição dele, o que dizem outras pessoas, se é que disseram alguma coisa, a quantidade de partilhas ou de comentários nas redes sociais, a recomendação vinda de uma pessoa que tenha autoridade, de amigos, etc.

A pre-disposição do espetador é muito importante para aumentar os seus níveis de curiosidade e ajudar-te a agarrar a sua atenção pelo menos durante os primeiros 30 segundos.

No caso desta série e para fazer este pre-framing, o Turismo de Portugal conta com o efeito viral que possam ter, contam com pessoas como eu, que escrevam sobre eles, contam com a imprensa que fale sobre eles.

Lição 2 de Vídeo Marketing: Teasing.

Além do pre-framing que fica de fora do vídeo, o início tem um teaser que ocupa 5 dos primeiros 10 segundos (vê mais abaixo a importância dos primeiros 10 segundos) e é composto pela frase: “este vídeo foi gravado integralmente em Dezembro durante o Inverno” que levanta a curiosidade sobre “porque é que isso é relevante?” e deixa entrever o que poderá vir a acontecer.

Lição 3 de Video Marketing: Pattern Interrupt.

Há um fenómeno curioso na nossa mente: quando mudamos de sítio o cérebro faz um reset e fica aberto, vazio.

Já te aconteceu por exemplo, estar na cozinha e pensares em ir a um quarto buscar alguma coisa, mas quando lá chegas não te lembras do que ias fazer? Uma boa forma de te recordares é regressar ao local onde tiveste a ideia: sair do quarto e regressar à cozinha. Quando cruzamos uma porta e entramos num novo espaço físico há um reset mental.

Por este motivo se fazem experiências de imersão, retiros por exemplo, em que nós saímos do espaço físico onde vivemos normalmente e vamos experienciar um novo espaço que abra a nossa mente a novas experiências, novas vivências e novas intuições. Lembra-te: mudar de local “reseta” a mente.

Como usa esta estratégia esta série de vídeos? Muito obviamente: mostra paisagens com espaços amplos, enormes, praias, montanhas, corpos de água (os corpos de água são especialmente eficazes).

Imagina uma pessoa, sentada no seu emprego ou na sua casa, no norte da Europa com o frio de Dezembro, e começa a ver as imagens dos vídeos. Essas imagens quebram o padrão mental de pensamento e absorvem a atenção da mesma forma que o faz o passar de um quarto para outro, mas em que esse outro tem uma janela para montanhas e lagos…

Se estás a dirigir-te a pessoas que estão em cidades, em cubículos nos seus empregos quando vêem o teu vídeo, é boa ideia usar estratégias para quebrar o seu padrão mental retirando-as abruptamente de onde estão.

Captas a atenção, eliminas as distrações e consegues uma percentagem de atenção considerável enquanto abriste umas brechas na mente do espectador para introduzires a tua mensagem, caso ressoe com ele.

Lição 4 de Vídeo Marketing: Ritmo

Tens uma janela de 10 segundos em que o espetador decide se vale ou não investir tempo a ver o teu vídeo e, depois desses 10 segundos, tens mais 20 em que aqueles que decidiram dar-te o benefício da dúvida se deixam ou não absorver pelo teu vídeo e pela tua mensagem.

Neste aspeto o ritmo é fundamental. Queres ter imagens com uma determinada cadência, em movimento. Vídeo-Fotos não funcionam assim tão bem nem sequer se usares algum tipo de efeito de zoom nas fotos para tentar dar este movimento.

Vídeo é melhor e se tiveres movimento lateral e circular melhor ainda. Os movimentos circulares (“andar à roda” de um objeto ou estar no centro e ser o mundo que roda) têm um efeito mental mais absorvente se não exagerares no efeito.

A cadência das cenas é importante. Se queres dar uma ideia de relax, mantém uma cadência baixa, se queres dar a ideia de stress mantém uma cadência mais elevada. Nestes vídeos a cadência média entre cenas é de 2 a 3 segundos para imagens ilustrativas e pode ir até 10 segundos para imagens com narrador ou pausas visuais, como uma respiração: ritmado mas relaxado neste caso.

Agora vamos ao Copywriting. Pode ser?

Copywriting é a arte de escrever para produzir um efeito, ou uma ação e vamos ver algumas das dicas de marketing de conteúdo que o texto deste vídeo aporta.

Artigo Relacionado: Power Bloggers – Melhorar os Artigos e Gerar Contactos

Tradução livre:

Quantas vezes tens saído mais cedo, cancelado uma reunião ou mudado de planos?

Quantas vezes dás por ti a ficar por ali mesmo, quando dizes que te vais embora?

Quantas vezes tens pensado em começar de novo? Mas depois pensas, eu sou mais do tipo caseiro, não um aventureiro.

Quantas vezes olhas para ti de outra perspectiva e percebes que no final das contas estás simplesmente no lugar errado.

É este o momento de procurar novas visões e novos ângulos.

Somos do tamanho das coisas que vemos e não das coisas que temos.

Podemos não falar todos o mesmo idioma, mas falamos todos com a mesma língua.

A boa notícia é que continuam todas cá: estas paisagens persistem no mundo tridimensional em que existimos e têm a capacidade para transformar as nossas vidas. Por isso vem, vem para ver, não para mostrar! E guarda na mente e no coração!  Arruma o telemóvel e vai!

Não penses que os teus melhores anos já passaram.  Lembra- te que independentemente dos anos que ainda nos restam, e apesar da sabedoria ou do pó que se acumulou nos nossos olhos, continuamos sem saber exactamente qual a onda que vamos encontrar. Um roller de 2 metros ou um monstro de 30.

É inútil tentar escapar.

Por isso viaja para fora! Deixa que o vento encha as tuas velas!  Explora, sonha, descobre! Acredita que aquele céu vai ser um pouco mais azul!

Não chegou ainda a hora de fazeres a tua vénia final. O passado ficou para trás e o futuro está á tua frente. O que nós temos é este grande momento AGORA!

Mantém isto na tua mente porque é a verdade. E isto é a prova. E está connosco todos os dias, só temos de ler os sinais.

O comboio só passa uma vez. Não podes passar ao lado das novas ideias. Não podes dispensar os novos começos. Porque afinal de contas … não podes deixar a vida passar-te ao lado.

Não podes dispensar a alegria

Não podes dispensar a inspiração

Não podes dispensar os desafios

Não podes dispensar-nos a nós

Não podes deixar que Portugal te passe ao lado.

Lição 1 de Copywriting: o target

Um “target” ou “alvo” é uma audiência que tem características específicas, identificáveis e concretas.

Não é um target: “toda a gente”. Mas pode ser um target: “toda a gente que deseja “isto” (algo específico).

É comum definirem-se targets começando pela demografia: sexo, idade, nível de rendimento, setor de atividade, situação profissional, situação matrimonial, com ou sem filhos, etc…

Nós preferimos juntar a esta demografia a “lista de desejos”: aquilo que essas pessoas desejam.

É com os desejos que nós nos conectamos enquanto seres humanos, e são os desejos (e não as necessidades) que nos levam a agir.

Artigo Relacionado: Vamos Então Escolher a Tua Audiência

Tens um target quando tens um conjunto demográfico identificado e os desejos principais desse conjunto demográfico identificados.

Se quiseres ser mais específico, às vezes pode ser-te útil, avança um passo mais e, desse target cria um indivíduo imaginário que reúna todas as características demográficas, mentais e emocionais do teu target. Se o fizeres tens um Avatar. Pode ser útil visualizares o teu Avatar (e até dar-lhe um nome, eu gosto de “Jorge” LOL) enquanto estás a escrever para ele.

Quando mostras uma pessoa num vídeo (sujeito), todos os detalhes dessa pessoa contam para atrair a tua audiência porque as pessoas que se vão identificar com ela serão as que estão dentro da mesma demografia ou têm o tipo de desejos indicados pelo sujeito.

Se queres atrair pais, mostras crianças ou pais em situações parentais

Se queres atrair jovens, mostras jovens, se queres atrair negócios, mostras situações de negócio, homens ou mulheres com a atitude, o estilo, o aspeto que têm ou gostariam de ter as pessoas do teu target.

Artigo Relacionado: Power Bloggers – Ofertas, Funis de Marketing e Nichos de Mercado

Protagonista 1 “Can’t Skip Freedom”: Neste vídeo temos um homem executivo que vive e trabalha na cidade, provavelmente num cubículo ou num prédio de aço e vidro. É mostrado no topo de um penhasco com uma vista para o mar, depois em florestas e sempre cm corpos de água por perto. Claro que o tema teria de ser Can’t Skip Freedom (“não podes deixar a liberdade passar-te ao lado”)

Protagonista 2 “Can’t Skip Inspiration”: O sujeito é uma mulher independente dos subúrbios, que vive de casa para o trabalho e do trabalho para casa, uma pessoa comum que revela o desejo de sair da rotina, de procurar novas experiências e viver a vida em pleno: “Não podes deixar a Inspiração passar-te ao lado”.

Protagonista 2 “Can’t Skip New Beginnings”: Homem de mais idade, seria um reformado típico mas cheio de vontade de fazer coisas novas. Acredita e vive os valores da atividade, da experiência, da superação e da juventude independentemente da idade cronologia, é sempre tempo de recomeçar novas aventuras e continuar a enriquecer a vida. O seu slogan diz: “não podes perder novos começos”.

O vídeo apela a estes 3 grupos de pessoas. Se pensares um pouco, não apela a famílias com filhos, para virem de férias a Portugal com a família no verão, mas à liberdade de uma pessoa para vir e desfrutar por si mesma: libertar-te, inspirar-se e começar de novo são os 3 valores do texto do vídeo.

Lição 2 de Copywriting: Problema e Solução, Expetativas e Benefícios

Repara como o vídeo está estruturado:

a) Mostra o resultado (os protagonistas começam a falar estando já aqui em Portugal: Até ao segundo “11)

b) Mostra “o problema” ou o “antes” (do segundo “11 ao segundo “42)

c) Mostra “a solução” ou o “depois” (a partir do segundo “42)

d) Mostra “o caminho” ou seja: como é que transformamos o problema na solução (a partir do minuto ‘2:26)

Artigo Relacionado: Power Bloggers – Escrever e Formatar Conteúdos

O Texto não fala de Portugal, não vende Portugal. Fala do sujeito, dos protagonistas, do target, dos seus problemas e das soluções. Fala da inspiração, da motivação, do porquê das coisas, da vontade, dos sentimentos e emoções… das pessoas.

Lembra-te o foco da mensagem não é o quão bom tu és, ou quanta qualidade tu tens, o incrível que são os teus produtos ou serviços mas sim que experiência os teus consumidores poderão esperar quando viverem a experiência.

Foca-te nos benefícios e na experiência que as pessoas podem esperar ter, não nos teus produtos ou nos serviços. Foca a tua atenção no teu target e não em ti.

Artigo Relacionado: Como Atingir Sucesso Pessoal e nas Organizações, e Criar uma Vida Abundante: Visão, Missão, Valores e Outras Coisas

Lição 3 de Copywriting: Testemunhos e Prova Social

Claro que o facto de mostrar protagonistas que realizaram aquilo que estão a anunciar e estão a partilhar as suas experiências com entusiasmo e autoridade tem um peso grande no efeito do vídeo.

“Eu fiz, estou satisfeito e orgulhoso e tu só ficas aí se quiseres” é a mensagem que passa sempre que mostramos testemunhos, ou prova social. Mostra que funciona, porque funcionou para essas pessoas, mas mais importante, mostra que pode funcionar para aquela pessoa específica do nosso target.

Lição 4 de Copywriting: Call to Action.

Qualquer texto de marketing tem como objetivo levar à ação. Se não levar as pessoas a sentirem o desejo de agir não serve para nada.

No caso deste vídeo, a ação é simples e está descrita na sequência final de mensagens, que ao mesmo tempo resume o vídeo e leva a pessoa a sentir o desejo de agir.

+ “Can’t Skip Joy” (“Não podes dispensar a alegria”)

+ “Can’t Skip Inspirations” (“Não podes dispensar a Inspiração”)

+ “Can’t Skip Challenges” (“Não podes dispensar os desafios”)

+ “Can’t Skip Us” (“Não podes passar ao nosso lado”)

+ “Can’t Skip Portugal” (“Não podes passar ao lado de Portugal”)

+ “Visit Portugal” (“Visita Portugal”)

+ “hashtag #CantSkipUs”

A chamada a ação é, obviamente “Visita Portugal” porém isso é algo que uma pessoa que veja o vídeo não poderá fazer nesse momento, por impulso.

Para isso existe a chamada à ação secundária expressa pela hashtag #CantSkipUs para que a pessoa visite e se envolva mais na mensagem. E isso sim o espetador pode fazer imediatamente.

Seria também uma boa ideia adicionar como CTA (call to action) imediato: “Partilha esta mensagem” ou ” Comenta” ou “Gosta”, a ideia é que provoque uma ação imediata da pessoa que sente a vontade de agir depois de ver o vídeo, mesmo que não possa executar a ação que pretendemos que a pessoa venha eventualmente a executar (neste caso seria visitar Portugal)

O vídeo de que falamos neste artigo é o resumo de uma série de 3 que mostra cada um dos sujeitos e suas histórias. Podes vê-los clicando nos links abaixo:

cant skip freedom cant skip portugal  cant skip inspiration cant skip portugal  cant skip new beginnings cant skip portugal

E agora chegou o momento do Call To Action deste artigo: Eu gostaria de ter a tua opinião aqui por baixo na forma de um comentário.

Pode ser algo simples como “adorei” ou pode ser algo mais completo como “adorei, especialmente… isto ou aquilo” e pode ser também a tua opinião sobre o que eu poderia ter falado neste artigo e não falei: o que tu achas que está em falta.

Em claro, se achaste este artigo útil ou interessante partilha que os teus amigos também podem apreciar. Obrigado.

 

 

 


Gostaste deste artigo? Estes também te vão interessar!
>> A Psicologia das Cores no Marketing
>> [Bom Dia] Queres Saber um Truque de Marketing Brutal?
>> Blog Marketing para Principiantes
>> Será Que Preciso de um Blog no Meu Marketing Digital?
>> 7 Mitos do Internet Marketing

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.