“O líder não dá ordens, dá o exemplo”. – Hermínio Nevárez

No meu trabalho diário, uma parte do tempo é dedicado a procurar líderes, actuais ou potenciais, para lhes proporcionar ferramentas de trabalho que tornem essa capacidade de liderança (que já podem ter ou podem vir a desenvolver) numa máquina de criar sucesso pessoal e profissional.

Em quase todo o lado ser um líder parece significar “mandar”, “ser o chefe”, “o patrão”, “o ditador” ou o “quero posso e mando”. É assim na política, nos locais de trabalho, nas famílias, nas relações interpessoais.

Digo “parece significar” porque de facto não significa.

Há uma enorme diferença entre um líder e um chefe.

– O chefe chefia, ordena, coordena, verifica, vigia, promove e castiga.

– O líder dá o exemplo, sugere, cativa, envolve, motiva e inspira.

Algumas pessoas, a quem eu pus o rótulo (um pouco injusto por sinal) de “subordinados”, precisam de um chefe e da estrutura férrea que ele representa. Precisam de um horário rígido, de um salário fixo por muito baixo que seja, que lhes digam o que fazer e como. Fogem das responsabilidades e tentam manter um perfil o mais baixo possível para não darem nas vistas. Estão focados no ordenado ao fim do mês e, no fim das contas, isso é a única coisa que lhes interessa.

Eu conheço muitas pessoas assim e, com uma ou duas excepções, considero-as pessoas muito boas. Alguns dos meus bons amigos são “subordinados” e isso não lhes dá nem retira qualquer valor como seres humanos.

Mas há outro tipo de pessoas: os líderes.

Eu procuro os líderes enquanto eu próprio estudo e desenvolvo as qualidades que são necessárias para me tornar um, cada vez mais e melhor.

Esta “classe” de pessoas procuram acima de tudo a liberdade.

Querem exprimir-se, dar opinião, clarificar as ideias. Na acção, são os primeiros a saltar para a poça de água, a “dar o litro”, a mostrar resultados e a ensinar. Nunca se contentam com o que conquistaram e tornam-se faróis inspiradores para todos os que querem um estilo de vida em liberdade, longe das ordens do patrão e da segurança enganadora do salário ao fim do mês.

Pessoalmente já encontrei alguns e tenho o enorme privilégio de ter várias destas pessoas no meu grupo de trabalho. Procuro outras. Pessoas que considerem ser este um dos caminhos que podem e querem percorrer.

O mais interessante é que ser líder, afinal, não tem nenhuma importância: o único importante é ter as qualidades.

Ninguém se torna líder procurando reunir seguidores mas dando o exemplo. E é o exemplo que atrairá os seguidores ao mesmo tempo que os transformará por sua vez em novos líderes.

Vou-te mostrar o que deves procurar para distinguir um verdadeiro líder de um “armado em líder”:

– este, o segundo, está muito focado em ter muitos seguidores e em demonstrar que tem poder;

– o primeiro, o verdadeiro, está focado em transformar cada seguidor num novo líder e está preocupado em cada segundo em servir mais e melhor o maior número de pessoas possível.

Quando era mais novo, li na Bíblia uma expressão de Jesus Cristo que dizia mais ou menos assim: “quem quiser ser o primeiro, torne-se servo de todos” (Mc. 10,43-44) e isso não parecia fazer muito sentido a não ser numa visão espiritualista afastada da realidade.

Afinal foram precisos mais de 20 anos para eu finalmente entender que esta ideia com 2 mil anos está agora, para mim, a provar-se verdadeira na vida real. Não posso dizer que não tenha ficado impressionado.

One thought on “Líder Procura-se”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.