“O hábito é o melhor dos servos, ou o pior dos amos.” – Nathaniel Emmons

Como é que tu aprendeste a andar em criança? Muito concentrado a colocar um pé à frente do outro, ao mesmo tempo que tentavas manter o equilíbrio, de braços abertos, e te focavas nos braços estendidos da tua mãe a um metro de distância. Estavas totalmente empenhado e comprometido, 100% presente naquela tarefa. Hoje, nem o teu subconsciente se interessa pelo teu andar, quanto mais o consciente! É algo que fazes de forma completamente automática. Porquê? Hábito.

Quanto foste tirar a carta e entraste num carro para conduzir pela primeira vez, lembras-te? Difícil manter controlo sobre as mudanças, o travão, o acelerador, os sinais de trânsito, os outros carros, os peões. Hoje fazes tudo isso e ainda manténs uma conversa com a pessoa ao teu lado. Como? Hábito.

Um dia na escola um amigo ofereceu-te um cigarro. Detestaste aquilo, mas fumaste para não fazeres a desfeita. Hoje fumas um pacote por dia e é difícil para ti passar algumas horas sem fumar. Porquê? Hábito.

Fazes uma meia hora de exercício diário, tens sempre um ou dois livros em processo de leitura, respiras três vezes e contas até 10 antes de te zangares, depois de fazeres tudo o que deves fazer ainda arranjas um espacinho para evoluíres.

Como fazes tu tudo isto? Hábito.

Cria os hábitos que te aproximam do teu objectivo e elimina os que te afastam dele.

Coloca-os ao teu serviço e mantém-nos debaixo de uma luva de ferro porque se eles te controlarem a ti irão destruir todos os teus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.