“Um bom actor é bom porque leu, releu, repetiu a leitura e repetiu a repetição da leitura do argumento até se tornar ele mesmo o argumento.” – Bob Proctor

Imagina que a tua vida é um filme. Não que “dava” um filme, mas que “é” um filme. Tu és o actor principal mas não escreveste o argumento. Tu não és escritor, és actor. Contudo, como és a vedeta, é-te dada a possibilidade de escolher um argumento, entre milhares. Melhor ainda, podes passar de um argumento para outro a teu bel-prazer, mesmo que a história perca continuidade.

De facto são estas surpresas que fazem de uma história aborrecida, uma história interessante.

O facto é que, mudando ou não de argumento, redefinindo ou não uma nova trajectória na tua vida, não foste tu que o escreveste.

As tuas opções não incluem a escrita, somente a escolha.

Por isso é que a tua vida nunca será exactamente, a 100% como tu a poderias sonhar. Ela foi escrita para a humanidade inteira e não somente para ti.

O que tens de fazer é interpretá-la com o teu talento. Dar-lhe vida no écran, emprestar-lhe um corpo e uma alma.

Isto significa também que não nasceste ensinado a viver. Nasceste, mas não nasceste um actor experiente. É por isso que precisas de ir aprendendo a viver e fazes isso em tentativas e erros, estudo, prática e modelação (seguindo modelos).

Precisas decidir o rumo da história e como irás interpretar o teu papel.

Como fazes isso? Escolhendo o teu argumento, repetindo, repetindo repetindo até ele se tornar uno contigo.

Isso é o que tu fazes, mesmo inconscientemente: repetir um argumento. O único problema é que para a maior parte das pessoas, e talvez para ti também, esse argumento não foi escolhido, foi o primeiro que apareceu. Tu pensas que é uma fatalidade, que não há nada a fazer, mas eu venho dizer-te que não é assim.

Tu podes escolher o final da tua história e o rumo dos acontecimentos.

Como te expliquei, não podes controlar o vento: não podes escrever o teu próprio argumento, mas podes posicionar as velas: podes escolher qual argumento seguir. Escolhe um que inclua: saúde, realização pessoal, amor, conforto e desafios.

Depois repete-o até que ele e tu se tornem um só.

Isto tem um nome: Felicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.