Vou contar-te o meu plano para ser livre e tu podes copiá-lo se quiseres.

Imagina: Um dia acordas numa cama e olhas à tua volta. Não sabes onde estás nem o que aconteceu. Começas a ver a mobília, as pessoas à tua volta e tiras as tuas conclusões acerca da tua situação conforme aquilo que vês.

Imagina que vês uma cama por cima da tua e percebes que estás num beliche. O lugar é minúsculo e está fechado com umas grades, pornografia nas paredes, um tipo de mau aspecto a olhar para ti com um fato às riscas e um número pregado no peito.

  • Ficas a saber quem és: um prisioneiro fechado numa cela.

Depois podes ficar a pensar no que terá acontecido para estares naquela posição, mas o facto é que a percepção da tua identidade foi definida pelo ambiente em que te achaste.

Imagina agora, que a história é diferente e que em vez de veres um beliche e uma cela, vês umas flores numa jarra, uma máquina a fazer piiip a cada segundo, tens uma intravenosa no braço e um saco de soro por cima da cabeça. À tua volta estão outras camas brancas, com pessoas deitadas e pessoas de bata branca a cirandar por ali.

  • Ficas a saber quem és rapidamente: és um paciente e estás no hospital.

Depois, podes ficar a pensar no que terá acontecido mas o facto é que acabaste de decidir quem tu és pela observação do que te rodeia.

  • Se reparares, este fenómeno é recorrente e constante: definimos a nossa identidade em grande parte por comparação com o nosso ambiente.

Agora podes começar a entender o motivo pelo qual existe a Aula Magna e existe a Universidade da Tribo. São o ambiente que escolhi criar para definir quem eu sou: Um Homem Livre.

Não seria possível definir-me dessa forma se não estivesse rodeado de homens e mulheres livres. Não poderia achar que era um padeiro tendo acordado na cela da prisão, da mesma forma que não poderia imaginar que eu era um músico exímio se tivesse acordado deitado de bruços num beco junto com outros sem-abrigo.

Descobri que nunca poderia ser livre sozinho e o meu Plano Maquiavélico deu origem a uma série, áudios, vídeos e formações que um dia irei partilhar contigo. Mas hoje, vou partilhar o original: os artigos:

Vou explicar-te o que significa para mim Ser Livre e o que significa para as pessoas maravilhosas que trabalham diariamente comigo com o mesmo objetivo.

 

Ser livre é uma combinação de várias coisas, e todas fazem falta. A primeira é a erradicação do medo: Deixar de ter medo.

 

(<<- Ir Para o Início da Série) (Continua a Série Aqui ->)

 

One thought on “O Meu Plano Maquiavélico Para Ser Livre”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.