“O Padre não deixa.” – Autor: pessoas.

Na aldeia onde nasci, e onde vou diariamente, existem muitos movimentos religiosos de carácter social. Uns mais activos que outros, mas há bastantes. Quando eu ali vivia, participei em um desses movimentos e reparei que havia uma frase muito repetida pelos seus responsáveis sempre que surgia uma ideia: “o padre não deixa”. Era uma resposta automática.

Ontem, falando com a minha mãe acerca do facto de muitas pessoas se queixarem que a paróquia está a morrer, que as pessoas não vão à missa e que as actividades desses grupos de acção social se aproximam do zero, reparei que essa frase está cada vez mais viva à medida que a comunidade morre.

Deixou de haver espírito comunitário porque não há actividades que unam as pessoas, por outro lado como não há actividades, também não existe o espírito comunitário. O interessante é que parece nem sequer existir falta de ideias.

A desculpa universal para desculpar a própria inércia é “o padre não deixa”.

– Mas…. já lhe foste perguntar?

– Não, mas não vale a pena, já sei que ele nunca vai deixar fazer isso.

O desgraçado do padre, tem uma reputação de não deixar fazer nada, de estar a matar a paróquia mas, tenho a certeza, ele nem chega a saber nem de um décimo das ideias que “ele” mesmo matou à nascença… sem saber.

Quando ouço alguém dizer: “não vale a pena”, penso logo em “o padre não deixa”. É uma desculpa esfarrapada para te autojustificares pelo facto de sucumbires à inércia. Queres exemplos?

  • – Uma oportunidade passa-te em frente do nariz, mas tu não investigas porque “não vale a pena, é tudo a mesma coisa.” Como é que podes saber que é tudo a mesma coisa se não fores ver?
  • – Precisas de falar com alguém mas a conversa que precisas de ter é difícil para ti. Preferes não a ter. Até podes pegar no telefone, mas depois pensas: “é muito cedo ainda, ainda deve estar a dormir”, ou “é tarde demais, não são horas de ligar”, ou “ele vai pensar mal de mim”, ou ainda “não vai querer aceitar a minha proposta”, “vai dizer não”. Como poderás saber o que a outra pessoa pensa e o que irá dizer? Por acaso és médium-futurista-vidente?
  •  – Não vou fazer este trabalho agora, está em cima da hora do almoço e não adianta nada. Está quente demais, ou frio, ou é tarde ou cedo, ou estou velho, ou sou ainda demasiado novo. Como poderás saber se consegues se não o fazes? Como poderás falhar se não tentas e como poderás ter sucesso se não falhares?

Não deixes que as desculpas esfarrapadas te impeçam de cumprir a tua missão. Não uses o padre para desculpares a tua própria inércia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.