“- Quando bebo vinho não consigo trabalhar, vou ter de deixar…

– Vais deixar de beber?

– Não, vou deixar de trabalhar.” – Dois amigos inteligentes

Ouvi esta piada há pouco e ela espelha uma realidade muito presente em mim e com certeza em ti também.

Lembras-te quando tinhas um sonho e lutaste um pouco para ele se concretizar? Que aconteceu?

Como o sonho não se realizava, lentamente, foi diminuindo até ficar do tamanho da tua realidade: morto.

O interessante é que na perseguição de qualquer sonho encontras muitas encruzilhadas: Uma estrada com a saída fácil (“the easy way out”) e a estrada da persistência.

E em todas as vezes que te deparas com estas encruzilhadas, uma coisa que identificas como “bom senso” ou “raciocínio” diz-te para desistires.

E razões para a desistência não faltam. As principais são: “os outros também não fazem isto”, “é melhor parar por aqui depois posso sempre voltar a recomeçar”, “não vale a pena”, “já fiz que chegue”, “não funciona para mim”, “não resulta”, etc.

Razões para continuar não há muitas, estás cansado e desanimado.

Mas se conseguires avivar a chama lá no fundo, reacender aquelas brasas meio apagadas recordando o teu “porquê”, ganharás um novo impulso e continuas o teu caminho até te surgir uma nova encruzilhada.

Aqui irás ter de voltar a escolher entre o teu “porquê” e a “saída fácil”.

Pessoalmente encaro cada encruzilhada como mais uma etapa no caminho e já não me custa seguir o meu sonho… já passei por tantas que agora é fácil nem ver a placa de “saída”, mas no princípio a dúvida pode ser dolorosa.

Não reduzas o teu sonho ao tamanho da tua realidade.

Aumenta a tua realidade até ela atingir o tamanho do teu sonho.

É bem mais divertido e o resultado mais agradável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.