“As paredes existem para afastar as pessoas que não querem as coisas com força suficiente: as outras pessoas, não nós.” – Randy Pausch

A vida é como um labirinto de paredes altas.

– Se não souberes para onde vais, segues como toda a gente pelo caminho indicado: contornas paredes, chegas a becos sem saída, voltas para trás, procuras outra passagem.

Como toda a gente anda nesse labirinto, facilmente começas a seguir uma ou outra pessoa, que, como tu, procura chegar a algum lado. Dentro em breve há um grupo, depois uma multidão de gente, uns atrás dos outros, contornando paredes, chegando a becos sem saída, voltando para trás e procurando nova direcção.

Se não tomares atenção passado algum tempo pensas que estás a ir a algum lado, porque todos vão nessa direcção. Tens a segurança do número. Toda a gente vai entretida percorrendo corredores intermináveis do labirinto com uma esperança no coração de que, um dia, sairão dali. Essa esperança mantém toda a gente a andar, sem desistir, uns atrás dos outros.

O que tu não reparas é que esse labirinto não tem saída nenhuma: está desenhado para te manter para sempre lá dentro:

Tiras o teu curso, claro, arranjas um emprego, se conseguires, evidentemente, contrais empréstimos, expressas opiniões, desejos, sonhos. Ao mesmo tempo que pensas que estás traçado para algo melhor, que te falta qualquer coisa, pensas também: “nããã, isto é mesmo assim, sonhos são bonitos mas eu sou realista, felicidade é só para alguns, liberdade de tempo e de dinheiro é para alguns afortunados ganhadores de lotaria.”A

O que tu não sabes, (como poderias saber!) é que a saída do labirinto é possível para os trepadores.

Estes são uma classe especial de pessoas: vêem o mundo a 3 dimensões. Enquanto toda a gente anda para a frente e para trás, para a direita e para a esquerda, alguns aprendem que podem levantar a cabeça e olhar para cima.

Nessa altura, provavelmente tropeçam em alguma pedra e todos os outros começam a rir “olha este! Em vez de ver onde põe os pés vai a olhar não sei para onde.” e continuam a ver onde põem os pés, sem suspeitarem que por cima das suas cabeças está o céu livre.

Quando começas a olhar para cima, começas a entender que a vida é mais que uma sequência de actividades colectivas, “seguras”, programadas. Depois trepas, arranhas-te todo, rasgas a roupa e chegas ao topo do muro do labirinto.

Aí tens uma visão que poucas pessoas têm e uma compreensão rara do mundo e da vida. A partir daí começas a encontrar o teu lugar no mundo, a tua forma de o tornar melhor. Quando meio mundo anda ao acaso tu achaste o teu propósito.

5 thoughts on “Sair do Labirinto e Encontrar o teu Propósito”

  1. Pingback: 11 Ideias Perigosas De Senso Comum Que Parecem Verdadeiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.