“Tornamo-nos verdadeiros heróis, só um passo de cada vez, tratando cada coisa à medida que surge.” – Eleanor Roosevelt

A física quântica trouxe à nossa visão do mundo um ângulo inédito.

Revolucionou, e continua a revolucionar, o nosso entendimento científico da realidade.

Ao afirmar, por exemplo, que o observador torna-se ele mesmo participante do que está a ser observado por forma a moldar a realidade simplesmente por estar ali, aproxima-se perigosamente dos ensinamentos espirituais que remontam a Lao-Tsé, mais de 600 anos antes de Cristo e que estão presentes em todas as tradições espirituais. Parece que uma certa intuição espiritual (não digo religiosa) apontasse um caminho ao longo de toda a história humana, que somente no seculo XXI a ciência começasse a vislumbrar com assombro.

Mas voltando à física quântica.

Entre as muitas descobertas que realizou nos últimos cinquenta anos uma das mais inquietantes é a do “salto quântico”:

uma partícula de matéria está numa determinada posição do espaço e, subitamente, surge noutra sem que tenha percorrido o caminho necessário para lá chegar.

Simplesmente desapareceu de um lado e apareceu no outro, como se tivesse dito “beam me up, Scotty!” que é o que se diz, na série de TV, Caminho das Estrelas, quando alguém quer ser teletransportado.

Este salto quântico, que é inexplicavelmente observável na natureza, está igualmente embutido no nosso sistema mental. Quando alguém quer ter o resultado sem pagar o preço, está a tentar um salto quântico. Quando queres perder peso depois de um dia de dieta e exercício, quando queres criar um negócio e ganhar dinheiro no dia seguinte, quando treinas meia hora e queres ganhar a medalha de ouro, ou queres ser rico sem teres percorrido o caminho da prosperidade.

Todos andam à procura do Salto Quântico nas suas vidas: a grande oportunidade, o Euro-milhões, o tal negócio, o tal emprego, o tal relacionamento, a tal conta bancária, o tal carro, ou casa, ou profissão, ou rendimento, o “fique rico já”.

Pois é, mas eu tenho uma boa notícia e uma má notícia. Qual queres primeiro? A má?

Ok, então aqui vai a boa:

a boa notícia é que tudo aquilo que eu descrevi antes, o carro, a casa, a conta bancária, o relacionamento, o negócio, etc., e ainda mais coisas, como saúde, bem-estar, felicidade, harmonia e paz interior, generosidade e mesmo heroísmo, tudo isto está ao teu alcance. Queres viajar de helicóptero ou de jacto privado? Queres passar seis meses de férias por ano em locais exóticos? Parece que estas são coisas completamente impossíveis para ti, certo? Isso é para os ricos e famosos, correcto? Correcto. Mas cada um deles não é nada mais nem menos que tu como ser humano e como potencial.

E tu podes desenvolver o teu potencial como eles desenvolveram o deles.

Não parece lógico? É lógico e evidente que eles fizeram alguma coisa que tu não fizeste ainda, mas eu coloco o ênfase no “ainda”.

Gostaste da boa notícia? Eu também.

Agora a má:

Nenhuma daquelas coisas irá surgir na tua vida por engano. Tu não farás nenhum salto quântico entre o “esticar o salário” e “andar de Ferrari” nem entre o “ter um relacionamento infeliz” e “ser feliz no amor” nem ainda entre “ser doente” e “vender saúde”. Não. Apesar de te convenceres de que terás a tua oportunidade de mudar de vida em segundos, isso não irá acontecer. Terás oportunidades sim, mas não te levam de repente da “classe média” ao “Ferrari”, só te levam um passinho mais à frente. Às vezes esse passinho é tão pequeno que a maior parte das pessoas o despreza e é por isso que a maior parte das pessoas não tem 6 meses de férias por ano.

Pessoalmente, (falo de mim porque não posso falar por outras pessoas) já passei, em três anos, de 14 horas de trabalho diárias e bancarrota para 4 horas de trabalho diário e férias quando quero. Mas o melhor ainda está para vir porque ainda nem comecei a trabalhar a sério no detalhe, no “bocadinho assim”.

É que eu mesmo estou em processo de limpeza mental e de eliminação dos vírus da atitude.

Como é que consegues tudo aquilo a que te propuseres? Entre outras coisas precisas de dar um passinho de cada vez, tratando cada oportunidade à medida que surge. Obrigado Eleanor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.