“Se podes sonhar uma coisa poderás torná-la realidade.” – Walt Disney

Com certeza já ouviste esta frase noutros locais. Eu já. E, para ser sincero, mesmo que seja verdade, que pode muito bem não ser, como é que isso se põe em prática? Como é que sei que, se tenho a capacidade de sonhar algo, sei que terei a capacidade de realizar esse sonho?

Nós estamos muito bem desenhados e fomos equipados com um mecanismo que nos dá a capacidade de imaginar. Mas não só imaginar, isso não é sonhar.

Sonhar é imaginar com todos os sentidos envolvidos e mais o sexto sentido da emoção. Tu podes ver o teu sonho realizado, senti-lo com os dedos, saboreá-lo, cheirá-lo e ouvi-lo. Podes experimentar as sensações de o ter alcançado. Podes desfrutar dele agora, mesmo que ainda não esteja concretizado. Isso é sonhar.

O interessante que tem este mecanismo é que ele é exactamente o mesmo envolvido na nossa capacidade de tomar decisões e de agir com um propósito.

Sempre que tomas uma decisão, imaginas e sentes o resultado futuro dessa decisão. Decides algo se o resultado que antecipas ressoar com a tua intuição e tiveres uma sensação de congruência, de “bate certo”.

Consequentemente, dessa decisão derivam acções, e cada uma dessas acções passa pelo teu filtro avaliador: “bate certo” com o teu sonho ou “não bate certo” com ele. E tu ages numa direcção ou noutra orientado por esta bússola interior que te coloca no caminho certo, assim tu escutes as suas orientações.

Então, se o mecanismo que usas para sonhar é o mesmo que usas para decidir e agir, as limitações da tua realidade são as mesmas do teu sonho, ou, dito de outro modo, o que puderes sonhar, podes realizar.

O teu trabalho diário é o de descobrires o teu método de escuta, limpares as interferências magnéticas que viciam as indicações da tua bússola. À medida que vais limpando e apurando o ouvido, vais vendo com mais clareza o teu caminho. Os Antigos, ignorantes coitados (ironia), deram nomes a esta limpeza: a procura do santo Graal ou a busca da Pedra Filosofal. Por isso os alquimistas sabiam que o importante não é o achar, mas a pessoa em que te transformas nessa procura. Esta transformação é que é a verdadeira realização.

Não é tão interessante este sistema  que realiza o teu sonho realizando-te a ti?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.