“A autodidáctica, acredito firmemente, é o único tipo de educação que existe.” – Isaac Asimov

Dei boleia, há 3 dias atrás, a uma pessoa conhecida, mulher, meia-idade. Na viagem de 10 minutos ela contou-me como estava zangada com uns médicos que não lhe resolviam um problema qualquer.
Já hoje, ouvi dizer mal do padre da paróquia. Essa pessoa dizia com bastante convicção, que a religião está toda a morrer, que até já nem vai à missa.
Conheço pessoal que tem filhos na escola. Criticam a professora porque não ensina os alunos, da forma como eles achariam correcto.
Na minha profissão, tenho pessoas que se queixam que não têm apoio onde estavam e juntam-se a mim porque eu posso ensinar-lhes o que precisam. Procuram um método, um sistema, que as faça ter sucesso, que compense as suas debilidades.

Tenho uma notícia para ti, hoje.

Por muito prosaicas que estas situações possam parecer, elas são um sintoma assustador de uma doença corrosiva: a dependência.

Podes pensar que o professor te ensina, mas estás enganado, tu é que aprendes. Podes pensar que o meu sistema te fará bem-sucedido, mas ele é somente um caminho que tu mesmo tens de percorrer. O médico não é responsável pela tua saúde, tu é que és. O padre não manda na tua espiritualidade, tu é que mandas.

Queres mais? Dá mais.

Só existe uma forma de aprendizagem e é auto-aprendizagem. A única categoria de sábios são os “autodidactas”. Nunca ninguém te ensinará alguma coisa. Tu é que a podes aprender, seguindo pistas, orientações, auto-análises, experiências acumuladas, pesquisa, procura.

Quando achas uma informação nova, o que é que fazes? Junta-la com tudo o
que tens acumulado, misturas, integras e compreendes (com-preender = “prender com” o que já assimilaste antes).

Por isso a mesma informação proporciona resultados tão diferentes em pessoas diferentes.

Por isso, se passares um dia passivamente, à espera que algo aconteça, ficas a saber que estás a desperdiçar o teu tempo.

Nada acontece fora de ti, tudo se passa aí dentro e aí, estás tu, sempre presente e a postos para dar o próximo passo.

Quando é que o vais dar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.