“Em tempo de guerra o medo e a coragem atingem os seus pontos mais altos.”

O equilíbrio, a ponderação, a calma e a razão são qualidades admiráveis. A reflexão, a tranquilidade, a compreensão e harmonia são fundamentais para teres uma vida boa.

Mas há momentos em que precisas de por tudo isso na gaveta, tens de arregaçar as mangas e mostrar os dentes e as garras. Esses são os tempos de guerra.

Entras em “tempo de guerra” quando algo de muito fundamental está ameaçado. A tua própria vida, a da tua família, o teu modo de vida, a tua casa, salário, comida, roupa, auto-estima e respeito. É o modo de sobrevivência levado ao extremo.

Podes tomar duas atitudes: ou entras em paralisia induzida pelo medo ou entras numa acção explosiva provocada pela raiva. A coragem vem muitas vezes do desespero.

O que é que te salva a vida?

Quando eras um homem das cavernas, a paralisia do medo servia-te pois, se ficasses quieto não serias comido. No mundo actual, se ficares quieto serás devorado pelas circunstâncias, tudo te passa por cima e à volta.

Para muitas pessoas hoje mesmo é dia de guerra. Talvez o seja para ti.

Precisas de saber isso porque tens de tomar acção. Há tempo para ser moderado e tempo para ser radical. Se tens a vida ameaçada ou por conquistar não estás em tempo de negociações com o destino. É dia de o controlares, dominares e voltares a ter a vida nas tuas mãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.