“Cada um só encontra aquilo que procura. Se queres uma coisa não podes procurar outra.”

Sexta-feira é dia de mercado na vila próxima da minha aldeia. Passei por lá um dia destes para comprar uns sapatos reles e baratos. No meio do rebuliço da feira ao ar livre, as vozes esganiçadas agitam o ar anunciando “sutiãs a um euro!”, “olha as meias, olha as meias!”, bancas cobertas de frutas coloridas berram tão alto como os pregões e a multidão de fregueses não facilita a identificação das bancas dos sapatos. Acabo por achar três delas, próximas umas das outras, por sinal.

Não vi as cuecas, nem os fatos, nem as sementes, nem as hortaliças para plantar, nem os barros rústicos e nem as artesanias em madeira. Sei que lá estão, mas não as vi. No meio do reboliço eu procurava sapatos e assim que eles apareceram no meu campo visual, identifiquei-os logo, mesmo lá longe, entre fregueses e confusão.

Em cima da bancada repleta deles a minha atenção começou a descartar modelos, feitios e tamanhos. Eu sabia o que queria. Agora que penso nisso, o meu diálogo interior era algo assim: “não”, “não”, “não”. Quanto tempo demorava em cada sapato antes de decidir se era isso que eu procurava? Nem um segundo.

Finalmente achei. Não era exactamente o que eu procurava mas servia perfeitamente. Sola de plástico, imitação de pele (o cheiro a plástico, esse não enganava). Preço 10 euros, cinco euros para cada pé. Tempo total investido: 10 minutos.

Porque é que eu consegui o meu objectivo? Por vários motivos:

  • Eu sabia o que queria.
  • Desloquei-me ao local onde o encontrar.
  • Não me deixei distrair por outras coisas.
  • Cedi um pouco no meu objectivo, modifiquei-o ligeiramente para se adequar a novas circunstâncias (o que eu tinha em mente não era e.x.a.c.t.a.m.e.n.t.e o que eu acabei por comprar), mas sem comprometer em nada o que eu considerava importante.
Se procuras ganhar o dobro do que ganhas agora, não podes continuar focado nas mesmas coisas em que te focas agora.
Se queres ter mais tempo para ti e para a tua família, não podes concentrar-te no que te tens concentrado até agora.

Não podes querer achar uns sapatos e passar o teu tempo nas bancas da fruta ou a discutir o preço de uma dúzia de cuecas.

Se queres mudar muitas coisas na tua vida, tens de mudar muito aquilo em que focas a tua atenção.

Segue aqueles quatro passos que indiquei acima. Se funcionaram para uma coisa tão prosaica como na compra de um par de sapatos reles, imagino que também possam funcionar em algo um pouco mais importante como a tua carreira ou o teu futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.